Carreira

Mulher mais rica da Nigéria diz que educação formal não é pré-requisito para sucesso

A mulher mais rica da Nigéria, Folorunsho Alakija, revelou que ela não frequentou uma universidade e insiste que a educação formal não é um requisito para obter sucesso na vida. Com uma fortuna estimada  US$ 2,6 bilhões (R$ 5,8 bilhões), ela falou sobre o assunto durante a cerimônia do Dia Internacional dos Jovens da ONU na Universidade de Lagos.

“Eu tenho 63 anos e ainda quero fazer muitas coisas. Então qual é a sua desculpa? Eu nunca frequentei uma universidade e tenho orgulho de dizer isso, porque acredito que não tenha feito nenhum mal”, contou Folorunsho durante a cerimônia.

A empresária nigeriana explicou aos alunos que, apesar de um diploma universitário ser importante e poder melhorar significativamente as perspectivas de vida, trabalho duro e persistência foram as ferramentas mais importantes para seu sucesso. “Você não tem de ter uma educação universitária para ser capaz de ter sucesso, então conte esta etapa com um “algo a mais” em sua vida”.

Alakija prosseguiu seus estudos de design de moda ainda jovem em Londres, e depois voltou para a Nigéria para trabalhar como secretária em um banco comercial. Ela posteriormente fundou o Supreme Stitches, uma roupa de alfaiataria que adequa-se à clientela de luxo, incluindo a ex-primeira dama da Nigéria Maryam Babangida.

Em 1993, ela adquiriu uma licença de prospecção de petróleo que concedeu um bloco lucrativo nas águas costeiras da Nigéria. Sua empresa, Famfa Oil, passou a deter uma participação de 60% no campo de petróleo. Ela também é o fundador da The Rose of Sharon Foundation, que presta apoio a órfãos e viúvas.

 

Topo