Carreira

3 dicas para trabalhar em qualquer lugar do mundo sem deixar seu emprego

Talvez você já tenha se imaginado fazendo home office na Grécia, no Peru ou nas praias de Bali. A aspiração profissional de muitos é trabalhar de casa e, se possível, em cidades ou até países diferentes. O problema é que este desejo não passa disso: uma aspiração. Sonhamos com este estilo de vida, mas isso é considerado muito fora da realidade.

Na verdade, independência para trabalhar fora do escritório é uma tendência acessível para muitos trabalhadores. Mais da metade dos norte-americanos trabalham meio período atualmente, e este número só cresce. A medida que a estrutura dos negócios migra para a tecnologia digital, companhias estão cada vez mais dispostas a permitir que seus funcionários trabalhem fora do escritório.

O programa Remote Year é um exemplo disso. Ele oferece oportunidade para trabalhar em 12 cidades globais, uma por mês, durante um ano. Desde o seu lançamento em 2015, o programa recebeu 300.000 aplicações e investimentos de cerca de US$ 12 milhões.

LEIA MAIS: 9 coisas que nunca devem ser ditas em uma entrevista de emprego

Greg Caplan, fundador do Remote Year, conta que a maioria dos participantes completa o programa dentro de seus empregos tradicionais. Você não precisa se demitir para trabalhar pelo mundo.

A paixão do empresário por viagens começou na infância, quando seus pais hospedavam em casa estrangeiros de várias partes do mundo. Isto gerou em Caplan um senso de comunidade que iria além das fronteiras geográficas. Com o programa, ele buscou recriar essa experiência para uma geração moderna desconectada da comunidade.

VEJA TAMBÉM: Como mudar a comunicação e melhorar o rendimento da sua empresa

No dia de lançamento do Remote Year, o email do fundador recebeu mais de mil mensagens com aplicações. “Compartilhei com alguns amigos pelo Google chat e as pessoas enlouqueceram com a ideia. Nos dois meses seguintes, mais de cinco mil pessoas se inscreveram”, conta Caplan.

Os inscritos tinham algo em comum: o desejo de criar oportunidades profissionais dentro de uma vida remota sem deixar suas carreiras. As pessoas querem um acordo profissional que inclua viagens e oportunidades.“Trabalho remoto é possível, tudo o que precisa mudar é a maneira como os empregadores pensam sobre isso”, afirma Caplan.

Conheça 3 estratégias de Caplan para um acordo profissional flexível e remoto:

  • Seja profissional

    Crie uma proposta formal para apresentar ao seu chefe. Inclua um plano detalhado de comunicação, possíveis problemas e como você pretende resolvê-los atendendo todas as necessidades da empresa. “Se você for bem estruturado e formal sobre seu ponto de vista e apresentá-lo de forma profissional, você tem grandes chances de conseguir o que quer”, diz Caplan.

  • Conheça as metas da sua empresa

    Pense em como a sua proposta vai ser útil para a empresa em que você trabalha em todos os aspectos. Entenda os objetivos primários da organização e estruture o seu caso de acordo com as necessidades e metas do seu empregador. Quanto mais consideração com a estrutura profissional da empresa, melhor.

  • Mostre suas intenções e objetivos

    Uma pesquisa feita pelo site Hubstaff mostra que trabalhadores remotos são mais produtivos, colaborativos, e ficam doentes com menos frequência que seus colegas que trabalham em escritório. Além disso, viajar estimula o senso de criatividade e inovação. Com os dados a seu favor, é possível criar um caso eficaz explicando porque você pode ser mais valioso para a sua equipe como um funcionário remoto.

Seja profissional

Crie uma proposta formal para apresentar ao seu chefe. Inclua um plano detalhado de comunicação, possíveis problemas e como você pretende resolvê-los atendendo todas as necessidades da empresa. “Se você for bem estruturado e formal sobre seu ponto de vista e apresentá-lo de forma profissional, você tem grandes chances de conseguir o que quer”, diz Caplan.

Comentários
Topo