Carreira

5 dicas para ser um funcionário mais querido pelos colegas de trabalho

Você é novo na empresa e quer se enturmar? Ou trabalha na mesma companhia há anos, mas ainda se sente como se não pertencesse àquele lugar? Talvez esteja na hora de aumentar o nível de afeição das pessoas por você.

LEIA MAIS: 3 dicas para superar o desânimo no trabalho

Veja na galeria de fotos 5 dicas para ser um funcionário mais querido:

  • 5. Eu vou me demitir se não conseguir um bom aumento (A menos que um dos cinco bons argumentos citados acima seja parte do seu discurso, é uma estratégia arriscada)

    Você deve estar se perguntando onde entra o argumento de que o seu salário está abaixo da média do mercado. Ele é relevante, mas não necessariamente atraente. Se você sabe que o seu chefe valoriza o seu trabalho e odiaria te perder, então traga dados sobre a margem salarial do mercado e mostre o que poderia ser feito para te satisfazer.

  • 5. A filosofia de gestão que trata a frequência como uma questão disciplinar. Como se os funcionários optassem por ficar doente, se machucar ou sofrer qualquer acidente de trânsito ou doméstico. Não entre em qualquer empresa sem antes ler a política de frequência.

  • 7. Observar com olhos de águia o horário de chegada e saída dos funcionários, mas ignorar as horas extras e períodos de home office. Se a empresa é exigente em relação à frequência, mas não dá crédito para o funcionário trabalhar em seu próprio tempo, ela não merece esse profissional.

  • 8. Proibir os gerentes de departamento de dar referências aos ex-funcionários. Como alguém pode ser capacitado para gerenciar um departamento, mas incapaz de providenciar uma carta de recomendação para um ex-funcionário? A política de não dar referência pode causar um prejuízo aos ex-funcionários, que trabalharam na empresa durante anos, e sinalizar aos atuais colaboradores que quando eles deixarem a empresa, a carreira deles não vai interessar mais.

  • 6. A prática de permitir que os gerentes de departamento aprovem ou recusem os pedidos dos integrantes da equipe para promoções ou transferências internas. Esta política é baseada no medo.

5. Eu vou me demitir se não conseguir um bom aumento (A menos que um dos cinco bons argumentos citados acima seja parte do seu discurso, é uma estratégia arriscada)

Você deve estar se perguntando onde entra o argumento de que o seu salário está abaixo da média do mercado. Ele é relevante, mas não necessariamente atraente. Se você sabe que o seu chefe valoriza o seu trabalho e odiaria te perder, então traga dados sobre a margem salarial do mercado e mostre o que poderia ser feito para te satisfazer.

Comentários
Topo