Carreira

10 ideias ridículas de RH que deveriam ser banidas

Ideias velhas de negócios, muitas vezes, acabam tornando-se padrão e, após algum tempo, ninguém as questiona mais. Quase toda função sofre com sugestões e práticas contraproducentes e sem sentido. Mas, de todas elas, o RH deve ser a mais incrustada de ideias insensatas de gestão.

LEIA MAIS: 10 motivos para você abandonar uma entrevista de emprego

Veja na galeria de fotos 10 ideias ridículas de RH que deveriam ter sido descartadas anos atrás:

  • 1. Avaliar os funcionários comparando-os entre si e classificando-os do melhor ao pior.

  • 2. Avaliações anuais de performance. Planejar reuniões é ótimo, mas qual é o propósito de revisar um ano todo de trabalho para apontar erros, ou pior, entregar um “boletim” como uma criança na escola? As avaliações de desempenho são irrelevantes e insultantes. Companhias inteligentes estão abandonando o método.

  • 3. Sistemas de feedback 360 graus. Verdadeiros líderes não permitem que seus funcionários avaliem uns aos outros. Esta é uma maneira de acabar com a confiança na equipe.

  • 4. Políticas que exigem que o funcionário leve o atestado de óbito para comprovar a morte de um ente querido.

  • 5. A filosofia de gestão que trata a frequência como uma questão disciplinar. Como se os funcionários optassem por ficar doente, se machucar ou sofrer qualquer acidente de trânsito ou doméstico. Não entre em qualquer empresa sem antes ler a política de frequência.

  • 6. A prática de permitir que os gerentes de departamento aprovem ou recusem os pedidos dos integrantes da equipe para promoções ou transferências internas. Esta política é baseada no medo.

  • 7. Observar com olhos de águia o horário de chegada e saída dos funcionários, mas ignorar as horas extras e períodos de home office. Se a empresa é exigente em relação à frequência, mas não dá crédito para o funcionário trabalhar em seu próprio tempo, ela não merece esse profissional.

  • 8. Proibir os gerentes de departamento de dar referências aos ex-funcionários. Como alguém pode ser capacitado para gerenciar um departamento, mas incapaz de providenciar uma carta de recomendação para um ex-funcionário? A política de não dar referência pode causar um prejuízo aos ex-funcionários, que trabalharam na empresa durante anos, e sinalizar aos atuais colaboradores que quando eles deixarem a empresa, a carreira deles não vai interessar mais.

  • 9. Roubar milhas aéreas de funcionários que viajam a negócio. Este é um ato mesquinho e um sinal de que a empresa é sovina.

  • 10. A ideia de que é possível contratar bons funcionários tratando-os como lixo, submetendo-os a formulários online e, posteriormente, usando um algoritmo ou uma palavra-chave para procurar currículos. Este sistema faz com que a empresa perca talentos.

    É um novo momento no mercado de trabalho. E pessoas capazes são desejadas, mas apenas se elas souberem o seu valor. É hora de se perguntar: será que meu trabalho atual me merece?

1. Avaliar os funcionários comparando-os entre si e classificando-os do melhor ao pior.

Comentários
Topo