Carreira

9 maneiras de sair da faculdade mais preparado para o mercado de trabalho

A faculdade já é, por si só, uma grande preparação para o mercado de trabalho. Em sua grande maioria, os cursos oferecem atividades teóricas e práticas que buscam dar ao aluno uma ampla perspectiva do mercado onde pretende atuar. Entretanto, certas atitudes podem ser um grande diferencial para que este preparo seja mais completo e eficaz.

LEIA TAMBÉM: 10 melhores universidades do mundo

Andrei Golfeto, presidente da Brasil Júnior, confederação brasileira das empresas juniores, listou algumas ações que são fundamentais para um melhor aproveitamento da faculdade e, consequentemente, uma maior preparação para enfrentar o mercado de trabalho. Estas pequenas mudanças de posturas, que devem ser implementadas ao longo do curso, podem ser decisivas para o sucesso profissional do jovem.

Veja 9 dicas do especialista para sair da faculdade mais preparado para o mercado:

  • 1. Correr por fora

    As aulas e os trabalhos dados em sala são essenciais para a formação do aluno. Entretanto, segundo Golfeto, não são o suficiente. A pessoa não deve se contentar com o que pode ser definido como o básico e precisa ir atrás de mais. Cursos extras, feiras, palestras, livros que não estão na bibliografia passada pelos professores e projetos diferentes que não fazem parte da grade curricular farão toda a diferença no futuro.

  • 2. Experiência internacional

    O especialista afirma se arrepender de não ter feito um intercâmbio durante a faculdade. Este tipo de experiência internacional é muito importante. Com ela, a pessoa vivencia experiências únicas e aprenderá muito, tanto por assumir responsabilidades ao se encontrar sozinho em um país estranho, quanto por enxergar sua área de atuação de uma maneira totalmente diferente. É o tipo de vivência que oferece desenvoltura e autonomia para os futuros profissionais. Logo, Golfetto aconselha que todos os alunos busquem uma oportunidade como essa – e a aproveitem.

  • 3. Estágio

    Segundo Golfeto, mesmo que o aluno participe de uma empresa júnior, fazer um estágio é fundamental. “É uma experiência real, que faz toda a diferença na formação da pessoa”.

  • 4. Engajamento com a faculdade

    Quanto mais o aluno se envolver com a faculdade, melhor. Participar de diferentes projetos, entidades e coletivos é uma experiência extremamente enriquecedora, diz o especialista. Seja no centro acadêmico, na bateria da faculdade, no time de vôlei ou em um projeto beneficente, o aluno sairá mais responsável. Isso pode abrir outras portas dentro e fora da graduação.

  • 5. Rede de contatos

    Os colegas de faculdade têm grandes chances de serem colegas de trabalho também. Por seguirem a mesma área, é natural que se esbarrem pelos caminhos profissionais que trilharem. Construir uma rede de contatos durante a faculdade, seja com colegas, seja com professores, poderá abrir muitas portas no futuro, com possíveis parcerias e projetos em conjunto.

  • 6. Não ter medo de arriscar

    Segundo Golfeto, esta é a melhor hora de se arriscar e, inclusive, de errar. “Não tenha medo de apostar durante a graduação. A faculdade não vai fechar porque você errou.” É uma época para tentar, experimentar, ver o que funciona e o que pode ser um total desastre. Tudo isso fará diferença no futuro e poderá ajudar o aluno a tomar decisões no mercado de trabalho a partir de suas próprias experiências – o que será muito mais tangível e dará ao profissional mais confiança.

  • 7. Conversar com pessoas formadas

    Além de aumentar a rede de contatos, falar com alguém que já se formou no mesmo curso pode ser extremamente enriquecedor. Essas pessoas podem dar conselhos valiosos e apontar aspectos que, às vezes, por estar envolvido com a situação, o aluno não consegue enxergar.

  • 8. Gostar de estudar

    Para Golfeto, é necessário que o aluno goste de estudar. “Ele precisa ir atrás das informações, não só lendo, mas explorando outras plataformas.” O especialista afirma que a prática da leitura pode ser muito benéfica, mas, caso o jovem não tenha o hábito ou não se sinta atraído por ele, existem atualmente várias outras maneiras de estudar com a ajuda das novas mídias. Um exemplo que ele cita são as palestras do TED (curtos vídeos com apresentações sobre os mais diversos assuntos, disponíveis na internet).

  • 9. Aproveitar o tempo

    Ao longo de sua formação, Golfeto sempre buscou atividades que contribuíssem de alguma forma. É essencial não perder tempo e manter o foco – entretanto, isso não precisa ser algo pesado ou entediante. “Eu sempre tentava assistir a filmes e séries que agregassem algo para minha carreira.” Mais uma vez, ele enfatiza a importância das novas tecnologias como aliadas para o crescimento.

1. Correr por fora

As aulas e os trabalhos dados em sala são essenciais para a formação do aluno. Entretanto, segundo Golfeto, não são o suficiente. A pessoa não deve se contentar com o que pode ser definido como o básico e precisa ir atrás de mais. Cursos extras, feiras, palestras, livros que não estão na bibliografia passada pelos professores e projetos diferentes que não fazem parte da grade curricular farão toda a diferença no futuro.

Comentários
Topo