Carreira

Entenda por que permanecer na sua zona de conforto é sabotar sua carreira

iStock

Especialista explica como é importante não se limitar e dá dicas para superar certas barreiras (iStock)

Em uma recente entrevista a FORBES, Andy Molinsky, professor de organização comportamental e psicologia da Universidade Brandeis e autor do livro “Reach: A New Strategy to Help You Step Outside Your Comfort Zone, Rise to the Challenge, and Build Confidence” (ainda sem tradução para o português), falou sobre as vantagens de sair da zona de conforto e deu dicas de como fazer isso. Veja, a seguir, os principais trechos da conversa:

VEJA MAIS: 10 dicas para avançar na carreira

FORBES: Quais as vantagens de sair da zona de conforto?

Andy Molinsky: Eu batalhei, como todo mundo, para sair da minha zona de conforto. No meu livro, eu falo sobre isso. Entrevistei e observei administradores e líderes, incluindo médicos (pediatras em particular). Saí com dois policiais em um carro oficial por dois dias em uma parte perigosa de uma grande metrópole. Usei, inclusive, um colete à prova de balas. Entrevistei atores, estudantes, padres, rabinos, professores e até um fazendeiro. Eu realmente tentei pesquisar um vasto ângulo desta situação para entender as pessoas que encontram maneiras de saírem de suas zonas de conforto. E eu encontrei cinco desafios psicológicos neste processo.

O primeiro está relacionado à autenticidade, a ideia de que, quando alguém está deixando sua zona de conforto e agindo de uma maneira nova e diferente, ela não consegue se sentir “normal”. Outro é o que chamo de desafio de gostar: a preocupação de que as pessoas não irão aprovar esta sua versão se você agir de determinada maneira. O terceiro é a competência: a preocupação de que você não será bom o suficiente e as pessoas perceberão isso. Ressentimento é o quarto desafio: ficar ressentido, furioso e frustrado por ter de fazer isso. Muitas pessoas me questionam sobre o porquê de terem que começar pequenas conversas ou irem a eventos em prol de uma rede de contatos. O último é a moralidade e não acontece em todos os casos. É a ideia de que o que você faz para sair da sua zona de conforto parece errado. Eu começo o meu livro, por exemplo, com a história de uma jovem empreendedora que teve de demitir sua melhor amiga da sua startup. Existem muitos pontos dolorosos nestas situações e, frequentemente, as pessoas enfrentam mais de um deles.

LEIA TAMBÉM: 10 melhores países para impulsionar sua carreira

FORBES: O que é possível fazer para aliviar algumas destas barreiras psicológicas?

Andy Molinsky: Eu encontrei três coisas cruciais. A primeira é o que eu chamo de convicção, que é um profundo senso de propósito no motivo de você estar fazendo isso. A segunda questão essencial é a customização – a medida para que cada pessoa consiga fazer pequenos ajustes às situações em que se encontram, para tornar tudo um pouco mais fácil. Algumas pessoas fizeram isso com a ajuda da linguagem corporal. Outras usam amuletos da sorte. Há, ainda, aquelas que influenciam o contexto, então levam um amigo ao evento, colocam colegas na plateia quando precisam fazer um discurso ou conversam antes de algo importante para se sentirem mais confortáveis. O terceiro ponto é a clareza. Medo e ansiedade podem realmente fazer com que a pessoa chegue a extremos. “Eu tenho que fazer este discurso em público e serei horrível. Será um fracasso total”. Quando você estiver tentando sair da sua zona de conforto, tente permanecer firme, de forma a ter uma perspectiva mais normalizada e razoável. Pessoas que conseguem encontrar uma maneira de desenvolver clareza nas situações são mais bem-sucedidas.

E MAIS: Saiba como parar de se preocupar demais

FORBES: Quais são os prós e os contras de evitar sair da zona de conforto?

Andy Molinsky: O grande benefício de evitar é o alívio. Mas você estará apenas adiando o inevitável e aumentando a dificuldade de finalmente encarar a situação. Esse é o problema de fugir dela. É muito sedutor, mas, ao mesmo tempo, torna a próxima vez ainda mais difícil. É muito importante ter uma mentalidade que foque em aprender, em vez de apenas desempenhar. Tente encontrar algo que seja a intersecção entre potencialmente viável e alto impacto – algo que irá realmente adicionar algum valor a sua vida.

FORBES: O que acontece quando você sai da sua zona de conforto, mas isso não funciona?

Andy Molinsky: Isso é realmente muito difícil. Preparação é algo que aumentaria as chances de sucesso. Na minha opinião, o mais importante nesta situação é reconquistar a convicção. Quão importante é este desenvolvimento? Quão importante é este cargo? Se forem realmente importantes, serão fonte de motivação e de inspiração para tentar em uma outra oportunidade.

VEJA TAMBÉM: 4 atitudes simples que permitem que você produza mais em menos tempo

FORBES: O que você aprendeu ao dar os primeiros passos para sair da sua própria zona de conforto?

Andy Molinsky: Eu era a criança da escola que nunca falava nas aulas. Nunca. Eu sentava no fundo da sala e até considerava levantar a mão, mas meu coração batia como se fosse sair do peito. Hoje, 20 anos depois, eu gosto de falar em público. Sabe o que mais me ajudou? As mídias sociais. Eu tinha a inocente ideia de que você escreve um livro, aperta “enviar” no computador e todos o compram. Isso não acontece. Este é o tipo de coisa que exige o uso das mídias sociais. Exige que você se exponha nelas. Até hoje, eu fico enjoado ao enviar, tuitar ou postar algo que esteja minimamente relacionado a auto-promoção. Mas eu faço mesmo assim, pois eu tenho convicção de que posso efetivamente impactar a vida das pessoas.

Comentários
Topo