Carreira

Por que seu primeiro emprego não precisa ser o emprego dos sonhos

iStock

A melhor maneira de descobrir se um emprego ou uma indústria específicos são realmente ideias é realmente trabalhar neles. (iStock)

Uma das perguntas que os millennials mais frequentemente fazem aos recrutadores é como encontrar o emprego dos sonhos – mesmo que ela seja relativa à primeira oportunidade profissional, que geralmente vem depois da faculdade. No entanto, essa abordagem não é, necessariamente, certa, já que a maior parte dos primeiros empregos dos millennials não será o dos sonhos. E, do ponto de vista de que estamos vivendo em uma era onde os empregos de hoje podem ser obsoletos amanhã, este é um ponto positivo. É muito mais valioso pensar estrategicamente sobre uma carreira a longo prazo do que focar em um trabalho específico. A chave é desenvolver uma base de conhecimento, sabedoria e uma rede de contatos profissionais capazes de ajudar a dar um salto bem-sucedido para a próxima fase.

VEJA TAMBÉM: Saiba por que sua busca por emprego não está funcionando

Oportunidades imperfeitas

Um dos maiores erros que as pessoas cometem é esperar demais para encontrar a oportunidade perfeita. A melhor maneira de descobrir se um emprego ou uma indústria específicos são realmente ideais é realmente trabalhar neles. Isso vai oferecer uma perspectiva da cultura de uma empresa e de um estilo de liderança específicos. É como escolher as disciplinas na faculdade. Determinar quais delas cursar depende mais do professor do que da descrição oficial. Da mesma maneira que um trabalho depende muito mais de fatores internos, como estilo de administração de um chefe e o trabalho do dia a dia, do que de uma descrição de trabalho externa, que normalmente é um anúncio muito otimista. Essa descoberta de como determinado setor funciona também leva à detecção de oportunidades melhores e mais adequadas.

“Eu vejo um primeiro emprego como um teste para descobrir o que você quer fazer e quais aspectos do trabalho você gosta. É também uma oportunidade de aprender sobre um determinado setor e adquirir experiência transferível para que você tenha flexibilidade de definir seu futuro”, diz Min Zhang, CEO e co-fundadora da Totum, uma ferramenta de perfil de risco para consultores financeiros. “Meu primeiro emprego era de analista de pesquisa de capital em Wall Street. Cinco anos depois, eu mudei para fintechs, quando a indústria estava começando, e confirmei que minha verdadeira paixão envolvia criar algoritmos quantitativos neste mercado.”

A tecnologia pode transformar rapidamente uma função ou uma indústria, e o que pode parecer seu emprego dos sonhos no início pode se tornar menos importante em um setor em constante mudança. O tamanho da empresa, a estrutura e o ambiente são importantes também. Vale a pena testar alguns portes de empresas no início (pequenas, médias, grandes, startups) para ver qual tipo de ambiente combina mais com o seu perfil.

LEIA: 10 coisas que seu currículo deve dizer nos primeiros dez segundos de leitura

Trabalho duro pode ser trabalho bom

Outra razão que leva os millennials em início da carreira a procurarem recrutadores é encontrar uma nova posição, como uma promoção, depois de seis meses em seu emprego atual. A motivação para gerar um grande impacto é ótima, e se alguém não estiver pronto para uma promoção depois de seis meses, pode estar em um ano. Nesse meio tempo, é importante assumir tarefas e projetos que vão ajudar a preencher o intervalo de habilidade e experiência entre o emprego atual e o desejado próximo passo. Parte disso envolve muito trabalho duro.

“Eu comecei como associada em um escritório de advocacia e trabalhava para um chefe crítico e difícil de agradar”, conta Kelly Shapiro, conselheira geral na empresa de tecnologia de moda Thesis Couture. “Minha lista de tarefas não era glamurosa, mas eu aprendi autodisciplina e habilidades que eu trago até hoje. Eu também ganhei o respeito daquele chefe que é agora uma ótima referência.”

O trabalho duro pode fazer as pessoas questionarem se estão fazendo bom uso do seu caro diploma, mas aprender a priorizá-lo pode ajudar as pessoas a administrarem seu tempo no futuro. De qualquer maneira, é importante ser honesto com um novo contratado sobre o nível de trabalho duro que seu novo emprego requer. Caso contrário, uma descrição de emprego alterada para soar melhor pode criar um millennial desengajado. O comprometimento dos funcionários começa com liderança, e um bom líder pode articular que tipo de trabalho é necessário, quanto disso é trabalho duro e como essas habilidades vão ajudar a atingir os objetivos da empresa e contribuir com o desenvolvimento profissional do colaboradores.

E MAIS: 11 benefícios mais desejados por funcionários

Quem você conhece é importante, como você conhece é mais

Uma das melhores maneiras de ser introduzido a oportunidades de carreira futuras é por meio de um colega de trabalho atual ou antigo. É por isso que é importante criar relacionamentos profissionais autênticos, construídos sobre reputação e experiência compartilhada.

Nós temos uma tendência a ser motivados a subir a escada corporativa o mais rápido possível, mas, às vezes, as reputações que criamos, as conexões que fazemos e as lições que aprendemos nos níveis mais baixos podem nos ajudar a pular alguns degraus mais tarde em nossas carreiras. Pensar estrategicamente sobre desenvolvimento de carreira a longo prazo é muito mais útil do que focar em um trabalho específico.

Comentários
Topo