8 sinais de que seu colega sofre da síndrome de Procusto

No ambiente corporativo, é comum que algumas pessoas se sintam ameaçadas por outras, mais capacitadas. Para evitar um suposto prejuízo da própria carreira, elas acabam tendo comportamentos que visam desqualificar, menosprezar, humilhar e boicotar os colegas. Essas atitudes caracterizam a chamada síndrome de Procusto.

LEIA MAIS: 4 lições de Bill Gates e Steve Ballmer para bons relacionamentos de negócios

A origem do nome está na mitologia grega. Procusto era um gigante que convidava as pessoas para passar uma noite em sua cama de ferro. Entretanto, os convidados precisavam caber perfeitamente no leito, caso contrário eram torturados: o dono do móvel “esticava” os hóspedes mais baixos e amputava as extremidades de quem excedia as dimensões da cama.

Segundo Eva Hirsch Pontes, coach executiva e especialista no assunto, as políticas de bônus de diversas empresas com foco no curto prazo podem estar entre as causas desse comportamento extremamente tóxico, em que o profissional enxerga o colega como um concorrente, tentando constantemente desqualificá-lo, e não como parte de uma equipe que busca o realizar o melhor trabalho possível de forma conjunta e produtiva. A empresa também perde com essas atitudes, pois desestimulam ideias e impedem o progresso e a inovação.

A especialista ressalta que é importante saber diferenciar um comportamento isolado da síndrome propriamente dita. “No mundo em que vivemos, com intensa cobrança e pressão das empresas sobre seus funcionários, é normal que algumas pessoas manifestem essas características de maneira isolada”, afirma. Certas ações são simples mecanismos de defesa do indivíduo que se sente inseguro com a pressão. Muitas pessoas estão sobrecarregadas e tomam algumas atitudes, até de modo inconsciente, para se sentirem um pouco melhor. Outra coisa – bem diferente – é sofrer da síndrome.

Veja, na galeria abaixo, 8 sinais de que seu colega sofre da síndrome de Procusto:

  • 1. Não comemora o sucesso e as conquistas dos colegas

    A insegurança e o medo de ser superado pelos colegas contribuem para estimular essa síndrome. Logo, ao perceber alguma vitória de outro funcionário, a pessoa se sente extremamente ameaçada e não consegue comemorar algo que não seja feito por ela. Esse tipo de atitude impede o crescimento da carreira do próprio indivíduo e um maior aproveitamento do sucesso dos colegas.

  • 2. Faz intriga sobre outros funcionários

    “Quem precisa diminuir o outro para se sentir melhor é alguém que tem uma imagem muito negativa de si e que só se sente valorizado quando desvaloriza alguém”, afirma a especialista. É necessário entender essa dinâmica para não ser afetado por ela. Não tente fazer o mesmo e busque lidar com isso de forma adulta e profissional. Eva adverte que pagar com a mesma moeda não é a solução.

  • 3. Omite informações importantes para o trabalho

    Esse tipo de comportamento é extremamente prejudicial para a empresa. A energia que deveria ser direcionada para lidar com os verdadeiros concorrentes, como outras organizações, é totalmente desperdiçada na competição interna.

  • 4. Não aceita opiniões diferentes

    Por causa da insegurança que sente, busca fazer as ideias de outros funcionários parecerem absurdas.

  • 5. Possui aversão a desafios

    Um ambiente altamente desafiador pode evidenciar quem sofre desse mal. “Por medo de serem superadas por outros colegas, pessoas que sofrem dessa síndrome, além de apresentarem as outras características, não gostam de se expor a certas situações”, afirma a especialista.

  • 6. Boicota ideias e desmotiva os outros

    A existência de um conflito de ideias é algo saudável, que gera crescimento e inovação de pensamentos, contanto que sejam feitos com uma intenção construtiva e de colaboração. Quando um dos profissionais desmotiva os outros por uma questão de insegurança pessoal, acaba prejudicando a equipe como um todo.

  • 7. Ridiculariza o comportamento do outro

    Não é saudável viver em um ambiente repleto de desconfiança e o incômodo causado pelo convívio com alguém que sempre tenta ofuscar os outros é extremamente desgastante. Em casos mais extremos, essa situação pode causar problemas sérios, como depressão, ansiedade, estresse e distúrbios fisiológicos.

  • 8. Age de maneira ríspida frente às opiniões alheias

    Por se sentirem ameaçadas, pessoas com a síndrome de Procusto não aceitam opiniões alheias. A especialista também ressalta que pequenas divergências de pensamento não classificam, necessariamente, a síndrome. “É necessário um certo cuidado e discernimento para não confundir uma discordância ou uma crítica construtiva com uma suposta sabotagem”, completa.

1. Não comemora o sucesso e as conquistas dos colegas

A insegurança e o medo de ser superado pelos colegas contribuem para estimular essa síndrome. Logo, ao perceber alguma vitória de outro funcionário, a pessoa se sente extremamente ameaçada e não consegue comemorar algo que não seja feito por ela. Esse tipo de atitude impede o crescimento da carreira do próprio indivíduo e um maior aproveitamento do sucesso dos colegas.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).