Como pessoas de sucesso dizem não aos seus chefes

É importante questionar de que forma é possível ser bem-sucedido e entregar um trabalho valioso sem se sentir sobrecarregado.

Nós temos a tendência de classificar pessoas bem-sucedidas como aquelas que equilibram múltiplos projetos e, ao mesmo tempo, mantêm uma atitude de “não parar nunca”. Isso resulta, frequentemente, em estresse, esgotamento e uma baixa qualidade do trabalho. É comum questionar, então, de que forma é possível ser bem-sucedido e entregar um trabalho valioso sem se sentir sobrecarregado.

VEJA TAMBÉM: 10 razões para recusar uma oportunidade de trabalho

Morten Hansen é professor na Universidade da Califórnia em Berkeley, honrado pelo prêmio “Thinkers50” como um dos maiores pensadores de gestão do mundo. Ele é o coautor, com Jim Collins, do livro “Vencedoras por Opção”, que faz parte da lista de bestsellers do “New York Times”, e da obra recém-lançada “Great At Work: How Top Performers Work Less And Achieve More” (ainda sem versão em português).

Recentemente, FORBES entrevistou o Dr. Hansen sobre seu novo livro e outros temas, como ser obcecado na medida certa e o jeito correto de dizer “não”.

Veja, a seguir, os principais trechos da entrevista:

FORBES: Em seu novo livro “Great at Work: How Top Performers Work Less and Achieve More” você diz “faça menos e, então, torne-se obcecado”. O que você quer dizer com isso?

Dr. Morten Hansen: Tem dois componentes aí. O primeiro componente é que você tem de ter foco, o que significa estabelecer um conjunto de prioridades e o quão importante elas são. Os funcionários classificados como top performers na minha época eram realmente hiper focados nesse sentido, mas isso não é mais suficiente. Você também precisa mergulhar de cabeça nessas poucas coisas nas quais focar. Você não pode aplicar apenas um esforço mediano. O esforço precisa ser intenso e direcionado.

É um processo de dois passos: ser muito bom em priorizar e, então, dedicar todos os seus recursos e a sua atenção fanática aos detalhes para ser excelente nessas poucas coisas. Eu chamo isso de “obsessão com sentido”, porque obsessão é uma palavra um pouco dura. É preciso se tornar obcecado, mas também é preciso se dedicar para ser excelente naquelas poucas coisas que você elegeu. É isso que eu quero dizer com obsessão.

LEIA: 3 ações diárias para manter o equilíbrio entre vida profissional e pessoal

FORBES: É similar à clássica questão da motivação: “Isso me ajudará a avançar em relação a meu objetivo ou não?” Se sim, faça. Se não, não faça.

Hansen: Exatamente. Você precisa ter um conjunto muito claro de prioridades. Você mencionou a palavra “não”. Se você quiser focar, tem de ser capaz de dizer não. Eu acho que essa tem de ser uma das habilidades profissionais mais importantes para todo mundo. Especialmente quando se está em início de carreira, quando se busca avançar de um ponto mediano a um cargo mais sênior, muitas pessoas pensam que o melhor caminho é dizer “sim”. Agradar ao chefe. Agradar aos colegas. Agradar à equipe sênior. Quanto mais você puder dizer sim e então entregar, mais eles vão dizer: “Ele é um bom colega, trabalha em equipe”, e, então, você será promovido.

No entanto, essa é uma estratégia muito perigosa. Quando você diz sim com muita frequência, em algum momento você terá sua atenção dividida entre tarefas demais, e isso significa que a qualidade de seu trabalho vai começar a cair. Em seguida, as pessoas começarão a perceber isso.

FORBES: Falando em termos práticos, o que alguém poderia fazer para dizer “não” ao seu chefe?

Hansen: Aqui vai o conselho prático. Digamos que você esteja trabalhando em dois projetos ao mesmo tempo e seu chefe pede que entre em um terceiro. Você ficará em um dilema, porque se pegar os três, não fará o trabalho tão bem quanto gostaria. Simplesmente não há horas o suficiente no dia, certo?

Uma boa tática é jogar a bola de volta para o chefe, e isso significa dizer: “O que você gostaria que eu priorizasse? O que eu deveria fazer antes?”. Ou seja, você está pedindo ao seu chefe para estabelecer uma prioridade. Eu acho isso justo, porque o trabalho de um gestor é priorizar. É para isso que ele está sendo pago. É por isso que ele é um gestor. É totalmente justo fazer isso.

E MAIS: 10 melhores aplicativos de meditação e mindfulness

É claro que ele pode perguntar se você não poderia fazer os três simultaneamente. Você então precisa dizer: “Se você quiser que eu faça um trabalho excelente, nós precisamos decidir a ordem de importância das demandas. Então, em qual eu deveria me concentrar primeiro e qual a sequência?”. De novo, você estará apenas passando a bola de volta para ele, de forma gentil.

Outro ponto importante dessa comunicação é assegurar-se de dizer, explicitamente, que você quer se concentrar em poucas coisas e priorizar para conseguir fazer um trabalho de alto nível – e não porque você é preguiçoso. Depois disso, é claro que você precisará entregar um trabalho bem feito.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).