Colunas

A estrategia dos ingleses para engordar as vendas de Ovomaltine no Brasil

Em 1904, o médico Albert Wander criou em Berna, na Suíça, um complemento alimentar para as crianças que sofriam de carência nutricional. A invenção surgiu a partir do extrato de malte e , alguns anos depois, ficou mundialmente conhecida por Ovomaltine. No Brasil desde os anos 40, o produto foi se desenvolvendo e hoje pode ser encontrado em supermercados e empórios nas versões em pó para ser adicionado ao leite, em caixinha pronto para beber e na forma de creme crocante. No entanto, foi o food-service, mais especificamente o Bob´s, maior cliente de Ovomaltine do Brasil, quem trouxe fama ao produto. A rede de fast-food criou há anos o milkshake de Ovomaltine, um clássico de alto giro do cardápio que acabou inspirando uma grande quantidade de seguidores que passaram a incluir o ingrediente em bolos, brigadeiros, pudins, doces em geral e, agora, picolé. Com os adolescentes e jovens adultos como público-alvo, a Associated British Foods (ABF), dona do Ovomaltine, resolveu, há seis meses, desenvolver um picolé. Fechou uma parceria com a fabricante Diletto. Desde ontem, a novidade está à venda nas lojas da Diletto, devendo chegar a um total de 200 pontos de vendas – 25 em estabelecimentos e carrinhos da Diletto e os outros 175 em pequenas geladeiras especiais desenvolvidas pela Ovomaltine que, a partir de sexta-feira, desembarcam em supermercados e empórios como o Santa Maria e St. Marché. De acordo com Silvia Amaral (foto acima), gerente de marketing de Ovomaltine, a ação que deve durar até julho deve fortalecer a marca e trazer incrementos nas vendas de todos os itens da linha. O preço sugerido do picolé de Ovomaltine é de R$ 10.

Comentários
Topo