Colunas

Muito calor e… aumenta o consumo de sorvete no Brasil

O consumo de sorvetes vem crescendo na América Latina, principalmente no Brasil, afirma Katia Ambrosio, diretora de marketing da Kibon, líder de mercado desde seu lançamento no país, há 72 anos. Pertencente à gigante anglo-holandesa Unilever, a maior fabricante de sorvetes do mundo, a Kibon está presente hoje em 40 países. É no Brasil, no entanto, que se encontra um de seus maiores mercados. “Temos um público ávido por produtos diferenciados e um consumo per capita de sorvete que sobe a cada ano. Hoje, o Brasil é 12º país no mundo em consumo per capita, com 6,4 litros por ano por pessoa, somando-se os potes levados para casa e os picolés consumidos na rua”, explica a executiva.

Para manter-se em rota de crescimento, a Kibon tem investido em lançamentos, distribuição, comunicação e ativações inusitadas. “Temos produtos para todos os targets (faixa-etária), para todas as necessidades de consumo e para todas as ocasiões de consumo”, conta. Para este verão, a fabricante aposta em cinco linhas de produtos que contemplam mais de 20 novidades: 3Seleções, Sorveteria, Cremosíssimo , Blast e Light (relançada). Em take home, que aposta no potencial de consumo de sorvete dentro dos lares, as inovações recém-apresentadas são Blast Romeu e Julieta, Sorveteria Pudim e 3 Seleções Floresta Negra. Essas são as três grandes apostas para o verão 2015, o que rendeu até uma parceria com o restaurante Carlota, da chef Carla Pernambuco, que adicionou ao cardápio de sobremesa uma criação composta pelo sorvete de pudim.

Comentários
Topo