Colunas

EXCLUSIVO: Vaga para diretor-geral do Airbnb Brasil já tem 500 candidatos. RJ é o 4º destino mais contratado do mundo

O Airbnb, site que oferece hospedagem paga em residências de mais de 190 países, está procurando um diretor-geral para a operação brasileira desde fevereiro. Até o momento, a vaga atraiu 500 candidatos e as buscas não terminaram. “Ainda dá tempo de concorrer à posição”, afirma o alemão Christian Gessner, 33 anos, atual diretor-geral da operação e fundador da marca no Brasil. Filho de um alemão com uma sul-coreana, ele foi o funcionário número 1 do Airbnb no país e se prepara para deixar o cargo após quatro anos de trabalho. “A razão da saída é a minha família. Meu primeiro filho nasceu no fim de 2014 com muitas complicações. Tudo tem seu tempo e, agora, após ter construído a operação brasileira seguindo a mesma cultura e tipo de time existente em São Francisco (sede do Airbnb) e ter conquistado 20% dos visitantes internacionais que vieram ao Brasil na Copa e ficaram em residências anunciadas no Airbnb, vou focar na minha família. Continuarei no Brasil porque minha esposa e meu filho são brasileiros. Ela é do Recife (PE), então vamos passar um tempo lá e outro com meus pais na Alemanha. Após esse sabático, continuarei no Brasil e devo focar em empreendedorismo social”, conta Gessner, em entrevista à FORBES Brasil.

Por conta da procura pelo candidato ideal, a saída de Gessner foi adiada. Era para ele deixar a companhia em 1 de abril, data que foi adiada para 1 de junho. O perfil procurado para esta vaga, explica Gessner, é do executivo com dois olhares e bases: mercado corporativo e startups. “O novo country manager tem que se sentir confortável nesses dois mundos”, avisa. O salário não é divulgado, mas ele informa que dentre os benefícios oferecidos aos 20 funcionários da operação local há um voucher mensal de US$ 500 em hospedagem, que pode ser usado em qualquer lugar do mundo.

A operação do Airbnb é crescente no país. Em 2011, quando iniciou a operação no país, o Airbnb tinha 3 mil acomodações registradas. Hoje são mais de 45 mil, sendo que o grande mercado do serviço no país fica no Rio de Janeiro, com mais dos 20 mil leitos oferecidos. “Estamos duplicando nossa capacidade no Rio, que hoje é o quarto maior destino do Airbnb em leitos, após Paris, Nova York e Londres”, revela.

Embora a marca seja conhecida de muita gente, Gessner diz que o o Airbnb está apenas no capítulo 2 de sua história. “Estamos longe de ser mainstream, mas também estamos muito longe da rejeição. A empresa ainda está bem no início de sua jornada. Nos Estados Unidos, por exemplo, só 3% da população conhece o Airbnb”, revela o executivo.
PREMIAÇÃO
O Airbnb foi o vencedor da categoria empresa estrangeira na América Latina do “2nd Annual Latam Founders Awards Gala”, ocorrido na noite de ontem, em São Paulo. Segundo Pamela Granoff Simon, fundadora do Latam Founders Network, rede que tem 600 membros em 19 países como Google, Movile, Microsoft e Twitter, o evento premia os grandes transformadores do cenário atual, por meio da tecnologia, na América Latina, a exemplo de empreendedores, executivos e investidores. Veja abaixo os vencedores da noite de ontem:
– Melhor investidor: Kaszek Ventures
– Melhor B2B: Printi
– Melhor B2C: Guia Bolso
– Melhor companhia internacional: Airbnb
– Empresas mais inovadoras: Intelipost e Nubank
– Empresa mais impactante: Endeavor
– Melhor aceleradora de negócios: Aceleratech
– Empreendedor do ano: Florian Hagenbach (alemão que vive no Brasil)
Comentários
Topo