Colunas

As 30 marcas italianas que vão te fazer comprar no Eataly

eataly

Finalmente, o Eataly chega ao Brasil. A casa italiana que combina empório chique com livraria, restaurante, bar, escola de gastronomia e livraria abre suas portas hoje em São Paulo, a partir das 12h. O endereço escolhido pelos sócios italianos, americanos e brasileiros foi um amplo terreno da Avenida Presidente Juscelino Kubitschek 1489. Os números impressionam: 4,5 mil metros quadrados, três andares, 7 mil produtos à venda (a maioria italianos), 18 pontos de alimentação, um bar/restaurante a céu aberto, 22 departamentos de mercado, 520 funcionários, 5 laboratórios de produção própria de pães, massas, queijos, doces, dentre outros itens e 1 sala de aula. Seus 18 pontos de alimentação comportam 768 visitantes sentados. Paraíso dos glutões, o Eataly São Paulo foi inspirado na primeira unidade de Turim, fundada em 2007 pelo italiano Oscar Farinetti, que prega os valores da sustentabilidade, responsabilidade e compartilhamento. A operação brasileira custou R$ 40 milhões e é fruto da sociedade entre o Eataly Itália (de Farinetti e do sócio Luca Baffigo), o americano B&B Hospitality Group (dos chefs Mario Batali, Joe e Lidia Bastianich, os irmãos Adam e Alex Saper e o grupo brasileiro St Marche (que opera o Empório Santa Maria e 18 unidades do St Marche Supermercados). Perguntei a Farinetti quando o Brasil ganharia a segunda unidade do Eataly. Como bom italiano, respondeu “piano, piano.” Explicou que um passo seria dado por vez e e que a análise ocorreria após um ano de operação do Eataly São Paulo.

Forbes Brasil selecionou 30 marcas italianas que podem ser encontradas na unidade brasileira do Eataly. Muitas delas centenárias:

1) Amarelli (alcaçuz) – a família Amarelli e a história do alcaçuz estão interligados desde 1500, no sul da Calábria. Em 1721, foi criada a pimeira confecção do alcaçuz. Hoje há várias versões, inclusive saborizadas.

2) Venchi (chocolates e gelatos) – produz chocolates desde 1878, utilizando a melhor seleção de cacau do mundo. Não utiliza gorduras hidrogenadas, conservantes, aditivos, corantes ou aromas artificiais. Tem como tradição o rigor do Piemonte na produção do chocolate, usando apenas avelãs da região.

3) Mariangela Prumotto (geleias) – empresa familiar de Langhe, no Piemonte. As geleias não utilizam nenhum componente químico e 100% da energia usada em sua produção é solar, captada por meio de paineis.
4) Illy – fundada em 1933 por Francesco Illy em Trieste, nordeste da Itália, é conhecida pela qualidade de seu café e pelo programa de certificação e valorização dos agricultores, inclusive do Brasil.

int-espresso_72-dpi

5) Lavazza (cafés) – de Turim, ela é uma das marcas italianas de café mais famosas do mundo. Foi ela quem inventou o conceito de blends na viada do século 20.
6) Caffè Vergnano (cafés) – começou com uma pequena mercearia na Turim de 1882 e hoje está presente em vários países com seu café torrado e moído e também cápsulas compatíveis com Nespresso.

imp_violetta_20.400x400

7) Leone (pastilhas) – produz doces em Turim, na Itália, há mais de 150 anos, a partir do extrato de plantas e ervas dos alpes. Dentre os sabores criados: laranja, menta, canela, violeta, banilha, ervas, mirtillo, refrescante e até com função digestiva. Cada caixinha tem uma pintura diferente que perdura há décadas.
8) Golosi di Salute (doces e chocolates) – Luca Montersino, confeiteiro do Eataly, utiliza pouco açúcar e ingredientes nada convencionais (caso do azeite de oliva) para produzir doces saborosos e saudáveis.
9) Bodrato (doces) – combina receitas antigas com ideias modernas.
10 ) Domori (chocolates) – fundada em 1993 com a missão de manter a biodiversidade, poduz chocolates sem aromas artificiais. Ou seja: com o genuíno sabor do cacau.

ATP1442-l
11) Antica Torroneria (torrones) – natural do Piemonte, a terra das avelãs, produz torrones dos mais diversos tamanhos e sabores.

12) Babbi (sorvetes) – baseada na região da Emilia-Romagna, a marca familiar iniciou a produção de sorvetes finos em 1940. Hoje, seus produtos estão globalizados.
13) Caffarel (chocolates) – desde 1826, a marca produz chocolate piemontês de maneira tradicional na pequena Luserna San Giovanni, nos arredores de Turim. Seu fundador, Pual Caffarel, ganhou fama ao criar o primeiro giandujotti (um famoso bombom italiano com muita gianduia).
14) Scyavuru (geleias) – em dialeto siciliano, quer dizer “boa fragrância”. Sua produção artesanal é passada de geração em geração.

15) Niasca (geleias) – produz geleias unicamente a partir de ingredientes frescos da Ligúria.

16) Nesti Dante (sabonetes) – cheirosos, enormes e com embalagens lindamente desenhadas, são um símbolo da Itália. Os sabonetes são produzidos há quase 70 anos em Florença, capital da Toscana.

IMG_4089

17) Lurisia (refrigerantes) – sem a adição de sabores artificiais, corantes e conservantes. A marca mais famosa chama-se La Nostra Gazzosa, presente em todas as unidades do Eataly ao redor do mundo.

18) Michellis (cookies) – eles são feitos em ottofile, uma variedade ancestral de farinha moída em pedra do Piemonte, ovos frescos e manteiga cremosa.

19) Cova (biscoitos) – considerada uma marca-arte da confeitaria de Milão, ela foi criada em 1930 por dois famosos mestres confeiteiros (Agostino Panigada e Giovanni Cova), que iniciaram o negócio a partir da produção e panettones.

20) Duca D´Alba (biscoitos) – eles são produzidos apenas a partir do uso de ingredientes de alta qualidade, sem a adição de gordura hidrogenada, corantes ou conservantes. As avelãs do Piemonte estão presentes em muitas de suas criações.

21) Gentilini (biscoitos) – a marca criada em 1890 pertence à família Gentilini que usa apenas ovos, leite fresco, mel, manteiga cremosa, farinha e açúcar italianos para produzir os famosos “biscotti” italianos.

22) Achillea – fazenda da região do Piemonte que produz sucos orgânicos. Eles são adoçados unicamente com suco de maçã.

23) Mattei (biscoitos) – em 1958, Antonio Mattei inventou a receita de um biscoito que deu origem ao Biscottificio Mattei.

24) Desideri (biscoitos) – fabrica biscoitos a partir de uma receita toscana desde 1911.

25) Cuori Di (mistura em pó) – para criação de bolos e biscoitos finos.

26) Vicenzi (biscoitos) – muito famosa em toda Itália e com presença forte no exterior, a marca produz biscoitos finos.

IMG_4111

27) Fabbri (geleias, caldas e bases para doces) – em 1905, Gennaro Fabri presentou a esposa com um pote azul e branco por ela ter criado a receita da Amarena. Hoje, a embalagem com amarena corre as confeitarias, cafés e restaurantes finos do mundo todo.

28) Perugina (chocolates) – certamente uma das marcas mais famosas da Perugia, capital da Umbria. Seu bombom Baci, recheado com uma avelã inteira e frases inspiradoras ganhou paladares do mundo todo.

IMG_3870

29) Ferrero (chocolates e creme de avelã) – a dona da Nutella, do Ferrero Rocher e do Tic Tac dispensa apresentações. Além de prateleiras com seus produtos nos mais diferentes tamanhos, ela está presente no Eataly São Paulo com o Nutella Bar. No piso térreo.

30) Agrimontana (geleias e frutas em conserva) – criada em 1972 na cidade de Borgo San Dalmazzo, tornando-se um nome forte das frutas em conserva. Tudo que ela utiliza vem de famílias de agricultores que garantem a qualidade dos produtos.

Françoise Terzian

Comentários
Topo