Colunas

Carros de polícia nos EUA identificam criminosos durante a patrulha

Reprodu

Reprodução

O Departamentos de Polícia dos Estados Unidos implementou uma poderosa ferramenta na luta contra o crime que promete ser tão eficiente quanto o DNA forense na identificação de criminosos, além de fornecer informações que ajudarão a prevenir delitos e acidentes fatais.
A chamada DDACTS (sigla para Dados de Abordagem Orientada para o Crime e Segurança no Trânsito) consiste em três câmeras de alta-resolução com visão noturna colocadas no teto dos carros, posicionadas para frente e para os lados. Um GPS é integrado ao sistema e fotos digitalizadas de placas são atualizadas no laptop do veículo à medida em que são capturadas.

LEIA MAIS: Samsung cria protótipo para aumentar segurança nas estradas

Assim que iniciam seus turnos, os policiais fazem downloads de informações atualizadas de uma base de dados sobre veículos procurados, fugitivos, carteiras de motorista suspensas ou revogadas e carros roubados, dentre outras. Esses arquivos são atualizados a cada quatro horas e integram-se ao sistema de câmeras de reconhecimento óptico e índices criminais em níveis local, nacional e estadual.

Estatísticas do FBI indicam que a maioria dos crimes ocorre em veículos, por isso o sistema funciona de forma a selecionar possíveis alvos.
A cidade de Denver é uma grande defensora do sistema DDACTS. Utilizado desde 2011, o chefe de polícia da cidade, Robert White, tornou prioridade a implantação da nova tecnologia de combate ao crime enquanto sua população continua a crescer. O custo foi de US$ 11.000 para cada veículo.

As câmeras capturam, leem e processam centenas de placas. Mais de 835.000 delas foram arquivadas na base de dados do Departamento de Polícia de Denver nos últimos dois meses. A iniciativa resultou em mais de 17.000 ocorrências.

O sistema é essencial como uma ferramenta investigativa, assim como para a análise de crimes e o desenvolvimento de dados de segurança no trânsito. Uma área com suspeita de atividade criminosa, por exemplo, ou uma cena de crime pode ser alvo da ronda de um veículo equipado com o DDACTS, que registrará todos os veículos na proximidade. Isso permite aos detetives identificar suspeitos e vítimas potenciais. O sistema também pode prever áreas de acidente em locais de tráfico denso para receberem atenção especial e reforço.

Comentários
Topo