Colunas

Setor de food-service ganha B2B só para restaurantes e fornecedores

foodservice

Reprodução

A alimentação fora do lar, uma necessidade da população que se transformou em um importante negócio para bares, lanchonetes, restaurantes e hotéis, levou o setor de food-service a avançar muito mais que o PIB nos últimos anos. Mesmo em tempos de crise, o negócio vai melhor que a economia de forma geral. De olho no avanço do mercado, a Gastronotech, empresa de desenvolvimento de sistemas do grupo Varejo & Consultoria, que também é dona do delivery Comer na Web, acaba de lançar o portal Food Traders (www.foodtraders.com.br), um B2B para compradores e fornecedores.

Segundo o CEO Marcio Blak, ao invés de um e-commerce, a ideia do portal é servir como ambiente eletrônico de cotações, uma vez que o mercado de fornecimento de insumos para o food-service é amplo e com preços variados. “A ideia é reunir todo mundo em um só ambiente e, com isso, reduzir o tempo de compra, aumentar a assertividade do que se adquire e evitar desperdícios e erros nas entregas”, conta Blak. Para os fornecedores, a principal vantagem é divulgar sua marca e aumentar as vendas.

Recém-lançado, o site encontra-se em fase de soft-openning. Nesta fase inicial, de formação da rede de fornecedores, o acesso é gratuito. Futuramente, eles pagarão uma mensalidade que vai variar de acordo com seu faturamento no portal. A meta é chegar em 2016 com 1 mil fornecedores e mais de 50 mil restaurantes cadastrados (para eles, o uso será sempre gratuito).

 

Comentários
Topo