Colunas

Após criar movimento “contra redes sociais”, modelo australiana pede contribuição financeira aos fãs

modelo autraliana

Reprodução Vimeo

Após criar um movimento que questiona o uso das redes sociais e fazer suas declarações viralizarem na internet, a top model Essena O’Neill declarou, recentemente, que, para se manter financeiramente, irá aceitar contribuições de fãs que estejam dispostos a apoiar sua nova causa. “Eu não estou conseguindo pagar meu aluguel agora”, afirmou a australiana em um vídeo publicado em seu novo site. “Estou envergonhada em admitir que preciso de ajuda.”

“Eu não sou uma puritana. Preciso de dinheiro para cobrir as minhas despesas básicas. Se vocês entendem a minha decisão, contribuam com o quanto vocês acham que esta ação vale”, declarou a famosa em recente publicação em seu novo site. Após ter deletado as contas de seu Snapchat e Tumbrl, a top model lançou uma página chamada “Let’s Be Game Changers” (“Vamos ser Transformadores do Jogo”, em tradução livre), publicação voltada a pessoas dispostas a mudar a sociedade. “Você tem ideia do quão bom é poder passar o dia sem precisar pensar no que os outros estão fazendo?”, questiona Essena, em postagem publicada no novo portal.

LISTA: 10 estrelas mais bem pagas do YouTube

Famosa principalmente por suas contas nas redes YouTube, Instagram e Tumblr, a modelo de 19 anos admite que só depois de três anos percebeu os efeitos negativos que a “fama virtual” vinha causando nela. “Essa cultura cria insegurança nas pessoas. Eu fazia de tudo para tentar provar ao mundo que eu era importante”, afirmou quando decidiu “largar tudo”.

Além de deletar duas de suas contas nas redes sociais, Essena disse que também já apagou a maioria das postagens de seu Instagram e editou todas as legendas de suas fotos na plataforma, na intenção de revelar o que realmente acontecia durante seus ensaios fotográficos que, pelas imagens divulgadas, pareciam tão “perfeitos e naturais”.

Ela contou também que recebia altos valores. “Recebi US$ 400 para postar esse vestido. Isso quando eu tinha, talvez, 150.000 seguidores. Com 500.000 seguidores, eu sei de muitas marcas que pagam até US$ 2.000 por postagem”, revelou. Esta prática de fotos pagas, por sua vez, não é nada comum nas mídias tradicionais.

NEGÓCIOS: Instagram estuda lançar versão do aplicativo proibida para menores

“Eu era infeliz mesmo com tantos seguidores, pois eu não já não sabia diferenciar o que era real do que não era”, completou a famosa. Segundo ela, seu novo site foi pensado para encorajar outras pessoas a se afastarem de seus celulares por um tempo e pararem de viver atrás de suas telas.

Depois de ter abandonado suas redes sociais, a modelo afirmou também que passou a ter mais tempo para “viver a vida real” e ser alguém mais feliz, criativa e, consequentemente, menos estressada. O tom do último vídeo, no entanto, entra em conflito com essa constatação.

Comentários
Topo