Colunas

Famiglia Valduga investe em segmento de cervejas artesanais

Cada vez mais o mercado nacional de cervejarias artesanais vem sendo ocupado pelos grandes grupos do setor. Exemplos? A Ambev, em fevereiro de 2015, incorporou a mineira Wäls, ao passo que a Brasil Kirin luta por espaço nesse campo com sua marca Baden Baden. Agora uma grande vinícola resolveu também adentrar esta seara: a Famiglia Valduga, uma das dez maiores fabricantes de vinhos e espumantes do país, lançou uma linha de produtos – os quais inclusive já chegaram ao varejo – batizada de Cervejaria Leopoldina.

LEIA MAIS: Cerveja canadense custa US$ 1.000

“Nossa produção será própria. A cervejaria fica em Garibaldi, no Rio Grande do Sul”, conta Juarez Valduga, presidente do grupo, em entrevista à Forbes Brasil. “Vamos usar tecnologia de ponta, como as grandes indústrias cervejeiras, porém voltada à produção artesanal. Estamos distribuindo gradativamente o produto, priorizando os mercados do Rio Grande do Sul, São Paulo e Rio de Janeiro. Mas temos como objetivo estar, em breve, em todos os estados brasileiros.”

O grupo espera que a Cervejaria Leopoldina responda, em três anos, por 15% de seu faturamento. A diversificação do portfólio é, até certo ponto, uma resposta à crise econômica no Brasil. Nessa mesma linha ela irá investir no enoturismo, abrindo as estâncias nas quais produz as uvas que consome para visitas. A alta do dólar, revela Juarez, motivou-a a seguir nesse caminho; com o brasileiro indo menos ao exterior, vale a pena oferecer opções internas de viagem.

LEIA MAIS: 10 países com mais cervejarias artesanais

O grupo é composto pelas empresas Casa Valduga, que faz vinhos e espumantes; Domno, importadora de vinhos; Casa Madeira, fabricante de sucos, geleias, antepastos e creme balsâmico; e a Cervejaria Leopoldina, o mais novo desafio da corporação. As cervejas da marca são cinco: Leopoldina Old Strong Ale, Leopoldina IPA, Leopoldina Weissbier, Leopoldina Witbier e Leopoldina Pilsner. Questionado acerca do futuro, Juarez responde: “O cenário negativo enfrentado em 2015, e a previsão pessimista para 2016, não fizeram e não farão a Famiglia Valduga recuar em suas atividades. Seguiremos investindo e crescendo, de forma mais cautelosa e segura, buscando oportunidades onde todos veem dificuldades”, garante Juarez.

Comentários
Topo