Colunas

Como as grávidas podem se proteger do Zika vírus no Carnaval

iStock

iStock

O crescente aumento do número de pessoas infectadas pelo Zika vírus vem alarmando a população, principalmente as grávidas. Essa época de Carnaval é propícia e mais perigosa, pois saímos muito nas ruas, praias, ao ar livre, etc.

A principal preocupação das futuras mamães é, sem sombra de dúvidas, os casos de microcefalia e também as outras síndromes neurológicas que estão relacionadas com o vírus como a de Guillain-Barré.

A transmissão do Zika se dá através da picada do mosquito Aedes Aegypti, o mesmo que transmite a dengue. Também há indícios de que fluidos corporais, como o sêmen, o sangue e o próprio leite materno também possam propagar o vírus.

A principal dúvida das mulheres grávidas é o que fazer para se proteger da doença. As grávidas e o restante da população, inclusive as crianças, devem se proteger da mesma forma que já faziam no caso da dengue:

1- Utilizando roupas para proteger a pele (roupas claras ofuscam a presença do mosquito, por brilharem muito, e favorecem a visualização do inseto). As roupas fluorescentes e de cores muito chamativas atraem o Aedes. As roupas devem ser menos chamativas em cores fluorescentes caso estejamos em área de risco.

2- O ideal caso a roupa seja muito colada ao corpo, como calças de ginástica, é borrifar o repelente sobre essa roupa muito justa porque o Aedes pode picar através da roupa quando muito pregada ao corpo.

3- Evitando também muito perfume e hidratantes perfumados, pois chamam o mosquito. Cheiros muito fortes e doces de perfumes e hidratantes alteram a presença do Aedes, então devemos evitar se estivermos em áreas de risco.

4- Evitando a picada do inseto, lembrando que o mosquito põe seus ovos em lugares com água parada (daí a importância de se combater os focos do mosquito, limpando a casa e a vizinhança e retirando objetos que possam favorecer o acúmulo de água).

5- Aplicando repelente nas áreas expostas.

A outra dúvida comum é sobre QUAIS os repelentes as grávidas e as crianças podem usar:

– IR3535: O uso tópico de repelentes a base de Ethyl butylacetylaminopropionate (EBAAP) é tido como seguro para gestantes, sendo indicado, inclusive, para crianças de 6 meses a 2 anos, mediante orientação de um medico. A duração da ação dos repelentes que usam esse princípio ativo, como a loção antimosquito Johnson’s, entretanto, é curta e precisa ser reaplicado a cada 2 horas.

1

– DEET: As grávidas podem usar repelentes que contenham o DEET (dietiltoluamida), com concentração entre 10% e 50%. Já as crianças de 6 meses a 2 anos não podem usá-los. Lembrando que crianças até 6 meses NAO devem usar nenhum repelente, apenas proteções físicas como roupas e mosqueteiros!

As crianças de 2 a 12 anos podem usar o DEET, mas não devem usar repelentes com concentração de DEET superior a 10%.O tempo de ação destes repelentes é de cerca de 6 horas. São alguns deles: OFF, Autan e Repelex.

2

– ICARIDINA: Os repelentes que contêm ircaridina também estão liberados para gestantes e para crianças acima de 2 anos. Por oferecer o período de ação mais prolongado – 10 horas, estes repelentes, como o produto Exposis, estão sendo os mais procurados por adultos e gestantes (está muito difícil encontrar nas farmácias viu gente! Virou artigo de ouro aqui em São Paulo!).

Há também opções de repelentes naturais, como a citronela e a andiroba, que não têm contraindicações, mas não possuem eficácia comprovada.

3

A Sociedade Brasileira de Dermatologia recomenda os seguintes cuidados ao se fazer uso dos repelentes:

– evitar aplicação nas mãos das crianças, por poderem levá-las a boca;
– aplicar na pele por cima das roupas, nunca por baixo;
– o repelente deve ser aplicado 15 minutos após o uso de filtros solares, maquiagem e hidratante, sendo sempre o ultimo;
– não aplicar o produto próximo aos olhos, nariz ou boca e genitais;
– sempre lavar as mãos após aplicar o produto;
– usar o produto no máximo três vezes ao dia;
– em caso de suspeita de qualquer reação adversa ou intoxicação, lavar a área exposta e, se necessário, procurar o serviço médico e levar a embalagem do repelente.

Gostaria agora de compartilhar aqui no final uma tabela dos sintomas da dengue, zika e chikungunya, que poderão ajudar muito no diagnóstico das doenças. É claro que ao menor sinal de algum desses sintomas devemos procurar um serviço de saúde, principalmente no caso de grávidas, mães que estão amamentando e crianças.

4

Gostaria agora de compartilhar aqui no final uma tabela dos sintomas da dengue, zika e chikungunya, que poderão ajudar muito no diagnóstico das doenças. É claro que ao menor sinal de algum desses sintomas devemos procurar um serviço de saúde, principalmente no caso de grávidas, mães que estão amamentando e crianças.

Espero ter ajudado um pouco vocês com as informações. E um bom Carnaval! Com muita folia, filtro solar e REPELENTE!!!!

Comentários
Topo