Colunas

3 dicas para contar uma boa storytelling de sua marca

Todo bom profissional de marketing irá te dizer que você precisa desenvolver uma persona, uma proposta de valor, ter uma compreensão das necessidades do seu cliente e um processo de vendas bem estruturado. Isso é apenas senso comum, quando falamos de marketing.

Mas o que tudo isso significa? Quando você está tentando estabelecer uma startup, crescer um negócio de forma sustentável, ou simplesmente contar ao mundo sobre a sua empresa, como você deve fazê-lo para ter significado e intencionalidade – mantendo o poder e penetração necessária?

Estas questões vão além do simples marketing, e adentram o reino do meta marketing – grandes problemas, grandes ideias e grandes movimentos.

Como trabalhei para construir diversas empresas, eu descobri que compartilhar a história da minha marca é uma das atividades mais poderosas e significativas que eu poderia fazer. Contar uma história não é fácil, especialmente quando é a história da sua marca – uma história de negócios. Neste contexto, o storytelling deve ser intencional, constante e focado.

Contar a história de uma marca não é tão diferente da arte de contar histórias. Nós, seres humanos somos conectados pela arte de contar e ouvir histórias. Storytelling é uma das características mais marcantes das civilizações da Terra. Pode-se até argumentar que as histórias são o que formam civilizações.

É exatamente por isso que a história de uma marca é tão importante – é absolutamente enganadora. Quando alguém fica engajado dessa forma, ganha interesse na história da sua marca, eles se sentem conectados de uma forma muito poderosa. Esse sentimento de conexão os transforma em clientes.

Como você está contando a história da sua marca?

  • O primeiro passo, desenvolva uma identidade

    Você não terá um história, se não tiver personagens.

    E seus personagens, não podem ser rasos.

    No storytelling, o personagem principal é chamado de protagonista. Para contar a história da sua marca, você, o negócio, são os protagonistas. O protagonista é o centro da história. Tudo que acontece é sobre esse personagem central.

    O protagonista é o herói. Claro, às vezes, ele fará besteiras ou será chato, mas ele sempre terá aquela identidade de herói. Eventualmente, ele será derrotado por vilões, resgatará a mocinha e poderá viver felizes para sempre.

    A fim de se ter este tipo de personagem envolvente, complexo e atraente, sua empresa deve desenvolver uma identidade.

    Alguns destes materiais de construção da identidade acontecem juntamente com os típicos esforços de marketing. Você deve identificar o comportamento de compra do seu cliente. Você aprende com o seu mercado alvo, a fim de melhorar a venda de seus serviços.

    Por exemplo, não venderá cera para pranchas de surfa na praia, com um terno Armani e demonstrando fotos brilhantes da sua plataforma de marketing. Você pega pistas com o seu público e se relacionará com eles de uma maneira que eles irão entender e se relacionar de volta.

    Relações são a chave para a formação da identidade dos personagens. As pessoas que leem sua história devem estar aptas à se identificarem com o personagem que é o seu negócio. Você deverá ser engraçado, casual, descontraído, sexy, agressivo, determinado, e até mesmo, exclusivo; desde que seu público-alvo possa relacionar com sua identidade.

  • Construa uma história

    Para que possamos contar uma história, você deve ter uma história para contar.

    Uma típica história tem os seguintes elementos:

    • Introdução, para montar o cenário

    • Ação constante, para as coisas acontecerem

    • Conflito, para criar suspense e emoção e fazer o leitor se envolver

    • Clímax, para tornar as coisas emocionantes

    • Ação descendente, para fazer as coisas se acalmarem

    • Solução, para que todos possam viver felizes para sempre

    Esse modelo de storytelling é genial, até mesmo para negócios.

    Os mesmos elementos que funcionam para um romance podem ser adaptados para contar a história de uma marca. No entanto, a história nunca acaba. Essa história se repete, ciclo após ciclo. Você terá diferentes introduções, ação constante, conflitos e clímax, mas o tema será basicamente o mesmo, dia após dia.

    Sua empresa constrói sua história em cada ponto de sua existência. Sua origem – pessoas amam histórias de origens – é poderosa de uma forma a moldar sua história. Seus desafios são partes essenciais para humanizar e engajar sua audiência. Suas derrotas irão te valorizar e inspirar seus fãs. Seus depoimentos são o que irá validar suas reivindicações e atrair novos compradores.

    Cada um destes elementos estão entrelaçados intencionalmente e constantemente, a fim de criar uma trama que conta uma história – a sua história.

  • Conte tudo

    Tudo que escrevi até agora é uma boa teoria.

    Mas teoria não fará muito bem a você, a não ser que seja colocada em prática.

    Como você pegará esses princípios de storytelling e identidade e os colocará num modelo prático para se comunicar com os outros?

    Se resume em ter uma estratégia de conteúdo. Você só estará apto a contar sua história se publicar o seu conteúdo. Agora estamos no reino do marketing de conteúdo, mas com uma volta – estamos fazendo marketing de conteúdo com uma estratégia de um contador de histórias.

    Onde quer que você publique – Youtube, seu blog, slideshare, ou qualquer outra plataforma – use elementos da história para comunicar o que você quiser comunicar.

    O que você comunica? Você compartilha eventos e experiências do seu negócio. Por exemplo, talvez, você tenha uma empresa de web design e quer publicar em seu blog um artigo sobre o lançamento de um novo site. Então, melhor do que oferecer um tutorial passo a passo, você conta a história do processo. Esta é uma história de como você projetou o maior redesign de site do mundo, apenas para evitar o fiasco, porque você se esqueceu de implementar o código de acompanhamento do analytics. Você pode explicar os mesmos conceitos, mas poderá fazê-lo de uma forma mais atraente e memorável, enquanto, ao mesmo tempo, avança na história da sua marca.

    É importante contar toda a história, por completo – o que for bom, o que for ruim e o que for feio. Toda história tem conflitos. A história da sua empresa não é diferente. Compartilhe o que você se orgulha. Compartilhe o que você se envergonha.

    Meu blog é um blog sobre marketing de conteúdo, mas é focado em história. Eu explico dos meus momentos de glória, explico sobre meus maiores testes e desafios. Isso é o que faz uma marca ganhar vida na cabeça de sua audiência.

    Quais as ideias que você descobriu ao contar a história da sua marca para o mundo?

O primeiro passo, desenvolva uma identidade

Você não terá um história, se não tiver personagens.

E seus personagens, não podem ser rasos.

No storytelling, o personagem principal é chamado de protagonista. Para contar a história da sua marca, você, o negócio, são os protagonistas. O protagonista é o centro da história. Tudo que acontece é sobre esse personagem central.

O protagonista é o herói. Claro, às vezes, ele fará besteiras ou será chato, mas ele sempre terá aquela identidade de herói. Eventualmente, ele será derrotado por vilões, resgatará a mocinha e poderá viver felizes para sempre.

A fim de se ter este tipo de personagem envolvente, complexo e atraente, sua empresa deve desenvolver uma identidade.

Alguns destes materiais de construção da identidade acontecem juntamente com os típicos esforços de marketing. Você deve identificar o comportamento de compra do seu cliente. Você aprende com o seu mercado alvo, a fim de melhorar a venda de seus serviços.

Por exemplo, não venderá cera para pranchas de surfa na praia, com um terno Armani e demonstrando fotos brilhantes da sua plataforma de marketing. Você pega pistas com o seu público e se relacionará com eles de uma maneira que eles irão entender e se relacionar de volta.

Relações são a chave para a formação da identidade dos personagens. As pessoas que leem sua história devem estar aptas à se identificarem com o personagem que é o seu negócio. Você deverá ser engraçado, casual, descontraído, sexy, agressivo, determinado, e até mesmo, exclusivo; desde que seu público-alvo possa relacionar com sua identidade.

Neil Patel é o cofundador da CrazyEgg, Hello Bar e KISSmetrics. Ele ajuda empresas como a Amazon, Facebook, Google, HP e Yahoo a crescer sua receita. The Wall Street Journal considera ele o mais influente na internet e foi reconhecido como um dos 100 mais importantes empreendedores com idade inferior a 30 anos pelo presidente Barack Obama. Acesse o site dele em português: http://neilpatel.com/br

Comentários
Topo