Colunas

O queijo gorgonzola e vinhos que harmonizam

Risoto de gorgonzola dolce e ervilhatorta (Gladstone Campos

Risoto de gorgonzola dolce e ervilhatorta (Gladstone Campos

No outono-inverno é muito comum o aumento do consumo do queijo e do vinho. Um dos grandes sucessos neste período é o queijo gorgonzola. Então, decidi comentar brevemente sobre esta deliciosa variedade de queijo, sua história na Itália e citar alguns vinhos que vão muito bem com ele.

Produzido ao longo de uma vasta área da Lombardia e na província de Novara, no Piemonte, o gorgonzola tem sua origem marcadamente lombarda: foi criado há mais de mil anos na cidade de Gorgonzola (cerca de 30 quilômetros ao norte de Milão).

Antigamente era conhecido como stracchino di Gorgonzola ou stracchino verde, em razão da cor esverdeada dos fungos que aparecem durante a maturação daquele que poderia ser um simples queijo de pasta mole. O gorgonzola genuíno é embrulhado em folha metálica colorida, carrega a marca do consorzio di tutela e a letra “G” destacada em sua embalagem. Tem um sabor forte e picante com um toque amargo. É produzido também nas versões doce ou cremosa. Na cozinha, é usado em molhos, no recheio de massas ou em risotos. Combina muita bem com polenta, aspargos, ovos e nozes.

No caso específico do risoto, é interessante ser combinado se contrapondo com algo adocicado, como por exemplo, a ervilha. Uma outra sugestão que testei e ficou extraordinário foi o risoto de abóbora com gorgonzola.

Para degustar somente o queijo, o gorgonzola vai muito bem também com geleia ou mel.

Com o vinhos, é muito interessante combinar o gorgonzola com os maduros e encorpados, como por exemplo o Amarone, um grande vinho do Vêneto e um dos maiores vinhos da Itália, assim como vinhos mais velhos como do sul da Itália ou densos e encorpados como da região sul da Campania…

Uma excelente pedida, principalmente nas noites frias!

Comentários
Topo