Colunas

Prêmio Montblanc de Cultura terá primeira edição no Brasil

Maestro João Carlos Martins, da Fundação Filarmônica Bachiana

Maestro João Carlos Martins, da Fundação Filarmônica Bachiana

O Prêmio Montblanc de la Culture Arts Patronage, que terá sua primeira edição no Brasil, será entregue na noite da próxima terça-feira (7), no Teatro Renaissance São Paulo. O país passou a fazer parte da lista de 16 nações a receber a premiação, que foi instituída pela Fundação Cultural Montblanc, em 1992, e é considerada o Oscar da Cultura. Yoko Ono, príncipe Charles, rainha Sofia, Quincy Jones, Jane Rosenthal e Andrew Lloyd Webber estão entre os ganhadores de edições anteriores.

Cada país pode indicar até três projetos com reconhecido alcance cultural e social. O vencedor é escolhido por um júri internacional de especialistas nas mais diversas áreas, representando todos os países participantes. O voto é eletrônico. O ganhador recebe um troféu e um cheque no valor de 15 mil euros, quantia que deve ser obrigatoriamente revertida em um projeto cultural à escolha do vencedor.

VEJA MAIS: 40 músicos mais bem pagos do mundo

Neste ano, o prêmio será entregue na Alemanha, Brasil, China, Colômbia, Coreia do Sul, Espanha, Estados Unidos, França, Grécia, Hong Kong, Itália, Japão, México, Rússia, Reino Unido e Suíça. Cerca de 230 projetos já foram consagrados e beneficiados com o prêmio Montblanc de la Culture Arts Patronage ao longo de 25 anos. Mais de 4 milhões de euros já foram distribuídos.

Laís Bodanzky & Luís Bolognesi, do Cine Mambembe (Divulgação)

Laís Bodanzky & Luís Bolognesi, do Cine Mambembe (Divulgação)

Os projetos indicados pelo Brasil na edição 2016 foram Fundação Filarmônica Bachiana, do maestro João Carlos Martins; Cine Mambembe, de Laís Bodanzky & Luís Bolognesi; e Projeto Inhotim, de Bernardo Paz. O Embaixador da Montblanc no Brasil, Rodrigo Santoro, a educadora Patrícia Rousseaux e o diretor do Teatro São Pedro, Paulo Esper, fazem parte do júri internacional.

Bernardo Paz, do Projeto Inhotim

Bernardo Paz, do Projeto Inhotim

Comentários
Topo