Colunas

Iraquiano salva 70 pessoas com BMW blindado de ataque do ISIS

Créditos: CNN

Créditos: CNN

O militar Ako Abdulrahman, membro do exército Peshmerga do Curdistão Iraquiano, usou seu carro blindado, uma BMW modelo dos anos 1960, para salvar 70 pessoas de um ataque do Estado Islâmico (ISIS), de acordo com matéria da CNN.

No dia 21 de outubro, dezenas de militares do ISIS coordenaram uma série de ataques em Mossul, no Iraque. O alvo era as forças de segurança em vários bairros da cidade. Houve civis 64 e 86 militares do Estado Islâmico mortos. Mais de 100 civis foram feridos, muitos ficaram presos entres os tiroteios, enquanto outros ficaram encurralados pelos snipers escondidos nos telhados das casas.

“Eu disse a mim mesmo, esta é a hora de ajudar pessoas”, contou Ako à CNN. “Eu sou um guerreiro e tenho um veículo blindado, seria uma vergonha se não ajudasse.” O militar dirigiu o carro blindado pela cidade, dando voltas para buscar pessoas feridas, enquanto o ISIS atirava no veículo. “Eu pensava comigo, meu povo está em perigo, minha cidade está em perigo, eles precisam de mim e eu vou protegê-los.”

LEIA MAIS: Como o Estado Islâmico ganha e gasta dinheiro

Aos 32 anos, Abdulrahman mora com a mulher e os quatro filhos em Taza Khurmatou, no Iraque. Ele contou que usou o carro para transportar mais de 70 pessoas em segurança e também carregou os corpos dos mortos para longe do ataque.

“No meu carro carreguei sunitas, xiitas, curdos, turcos e cristãos. Eu sou verdadeiramente um iraquiano e isto é o que todos deveriam ser”, desabafou. “Meu carro foi atingido por mais de 50 balas, tem marcas em todo lugar. Eles continuavam atirando na esperança que as balas furassem o carro.”

Créditos: CNN

Créditos: CNN

O militar conta que recusou uma oferta da BMW de trocar seu carro por um novo, que tinha interesse em exibir o carro baleado em sua sede, na Alemanha. Mas o iraquiano optou por reformar o carro original e continuar com ele. “Eu não sou um herói, sou um iraquiano que quer defender seu país de criminosos e assassinos.”

Comentários
Topo