Colunas

Nova rede brasileira de escolas para a classe A vai ter braço no Vale do Silício

Thamila (14) (002)

Thamila Zaher, diretora-executiva do Grupo SEB, está no Vale do Silício prospectando projetos similares

Um dos maiores acionistas da gigante de ensino superior Estácio, a família Zaher está apostando fichas milionárias no ensino básico: por meio do grupo SEB, o clã finaliza a criação de uma nova bandeira de escolas modelo para a classe A, com que pretende ser vanguarda no Brasil.

Depois de quase quatro anos de pesquisa, visitas a projetos educacionais de vários países e investimentos de R$ 150 milhões, o grupo inaugura em janeiro as duas primeiras escolas da Concept, que deverá ter um braço até no Vale do Silício, nos Estados Unidos.

As duas primeiras unidades iniciam atividades no início de 2017 em Ribeiro Preto (SP)  – onde o grupo SEB nasceu – e em Salvador (BA), em estruturas inovadoras com salas modulares, equipamentos de última geração para aulas de robótica e um método de ensino diferenciado.

Ainda no próximo ano, a Concept abrirá matrículas para as escolas que serão instaladas no Rio de Janeiro e em São Paulo.

A bandeira será dedicada a educação infantil e fundamental.

 

BRAÇO NA CALIFÓRNIA

Para 2018, o plano é chegar ao Vale do Silício, nos Estados Unidos, com um Learning Center. A base da Concept nos Estados Unidos deverá servir para que os alunos tenham contato com grandes companhias de tecnologia, startups e mentores.

Para isso, nesta semana, especialistas em educação do Grupo SEB estão na famosa região tecnológica da Califórnia mapeando propostas que tenham similaridades com o projeto que pretende para antecipar o futuro da educação básica no Brasil.

“A ideia é construir um centro de aprendizado e troca”, antecipa Thamila Zaher, diretora-executiva do Grupo SEB.

Thamila é filha e futura sucessora de Chaim Zaher, fundador do SEB, que é hoje o maior conglomerado de educação básica do país.

GIGANTE DE EDUCAÇÃO

O grupo SEB surgiu em Ribeirão Preto a partir de uma franquia do curso de pré-vestibular Objetivo.

Depois a família Zaher ingressou no ensino superior, com as universidades Dom Bosco, Pueri Domus e Name. Em 2010, vendeu a divisão de materiais didáticos e as marcas COC, Dom Bosco, Pueri Domus e Name para a Pearson, dona do Financial Times e da The Economist, por R$ 888 milhões.

Parte dos recursos foram reinvestidos na consolidação da UniSEB, que acabou se fundindo com a Estácio em 2013, transformando a família em uma das maiores acionistas individuais do conglomerado.

O restante das operações do grupo SEB ficou fora da transação e segue sob controle da família Zaher. Isso inclui bandeiras como Dom Bosco, Pueri Domus, COC , EPD e agora, a Concept.

 

 

 

Comentários
Topo