Colunas

Sheryl Sandberg e magnata dos cassinos doam milhões contra corte de Trump

Reprodução

A COO do Facebook, Sheryl Sandberg, doou US$ 1 milhão para a Planned Parenthood e inspirou a magnata dos cassinos, Elaine Wynn, a fazer o mesmo (Reprodução)

Duas das self-made women mais ricas dos Estados Unidos doaram, cada uma, US$ 1 milhão para a Planned Parenthood, organização sem fins lucrativos que oferece serviços de saúde reprodutiva, com atuação tanto no Estados Unidos quanto em nível global, e que enfrenta atualmente ameaças de cortes de verbas.

Uma delas é a magnata dos cassinos Elaine Wynn, cofundadora do Wynn Resorts, em Las Vegas. Sua doação foi inspirada pela atitude da colega bilionária Sheryl Sandberg que, no início do mês, destinou o mesmo valor para a instituição.

LEIA MAIS: As bilionárias mais poderosas de 2016

A COO (chefe de operações, em português) do Facebook tem sido uma colaboradora de longa data da Planned Parenthood, mas decidiu intensificar seus esforços depois que o presidente Donald Trump assinou, em janeiro, um decreto que proíbe financiamentos a organizações estrangeiras não-governamentais que promovam ou paguem por abortos. Segundo alguns defendem, a medida afeta, na prática, todos os serviços de cuidados de saúde às mulheres, reduz o fornecimento de formas de contracepção e, consequentemente, gera mais abortos.

Elaine Wynn

Elaine Wynn (Getty Images)

Sheryl, a 14ª self-made woman mais rica dos Estados Unidos, usou sua página no Facebook para justificar a decisão: “A melhor maneira de prevenir o aborto é por meio de mais serviços de planejamento familiar, e não menos. Os direitos das mulheres são direitos humanos – e não há direito mais básico do que o cuidado com a saúde. As mulheres ao redor do mundo merecem o nosso apoio”.

LEIA TAMBÉM: Há sete vezes mais bilionárias no mundo do que há 20 anos

Sua doação de US$ 1 milhão faz parte de um movimento geral pela defesa do aborto desde a eleição de Trump. No final de dezembro, a Planned Parenthood anunciou um aumento de 40 vezes nas contribuições, 70% delas vindas de novos apoiadores.

Aos 74 anos, Elaine Wynn, a 12a self-made woman mais rica dos EUA, é mais conhecida como patronesse das artes. Ele é co-presidente do Los Angeles County Museum of Art, e prometeu US$ 50 milhões em abril de 2016 para a construção de uma nova estrutura para abrigar a coleção permanente do museu. Comprou a pintura a óleo tríptica “Três Estudos de Lucian Freud”, de Francis Bacon, em 2013, por US$ 142,4 milhões, preço recorde para uma obra de arte.

E TAMBÉM: 20 cidades em 20 dias: conheça a despedida de solteira de US$ 13,8 milhões

Em 2010, o então presidente norte-americano Barack Obama apontou a “rainha de Las Vegas”, como ela é conhecida, para o cargo de diretora do John F. Kennedy Center for the Performing Arts. Seu ex-marido, Steve Wynn, havia desistido do emprego naquele mesmo ano.

A doação de Elaine para a Planned Parenthood veio depois de uma grande campanha para apoiar a organização de saúde sem fins lucrativos durante a New York Fashion Week. Mais de 40 estilistas – incluindo outras integrantes da lista das self-made women mais ricas, como Diane von Furstenberg e Tory Burch – participaram da iniciativa na esperança de aumentar a conscientização e encorajar os ricos consumidores de moda a contribuírem com a entidade.

Comentários
Topo