Colunas

Fábricas de cosméticos de luxo falsos são descobertas na China

Fábricas subterrâneas em Zhejiang produziam produtos falsos de marcas de luxo (iStock)

Fábricas subterrâneas em Zhejiang produziam cosméticos falsos de marcas de luxo (iStock)

Você pode querer checar melhor a embalagem do seu próximo perfume da próxima vez que for comprar um. A polícia chinesa descobriu sete fábricas subterrâneas na província de Zhejiang que produziam cosméticos em nomes de marcas de luxo como Chanel e Lancôme.

Em uma invasão conduzida pelas autoridades do país no início do mês, foram descobertas mais de 1.200 caixas de maquiagens falsificadas, avaliadas em, aproximadamente, 827 milhões de yuan (o equivalente a US$ 120 milhões). Todos os sete lugares eram dirigidos por um sindicato. Um dos integrantes da quadrilha, também sindicalizado, afirmou à imprensa local que comprou matérias-primas online e as misturou para imitar os produtos em outra fábrica, desta vez localizada em Henan.

LEIA MAIS: Christian Louboutin abre sua primeira loja de beleza em Paris

O homem disse que vendeu os produtos falsos – todos com rótulos de marcas famosas – tanto na internet quanto no mundo físico. Sua loja online, hospedada na maior plataforma de e-commerce da China, o Alibaba Taobao, atingiu uma pontuação muito positiva graças ao alto volume de vendas, impulsionado pelos preços baixos.

Cada produto custa apenas US$ 2 para ser produzido, mas é vendido por, aproximadamente, US$ 20. Além disso, o produtor disse que, caso algum consumidor reclamasse, ele era reembolsado para, assim, não gerar polêmica.

LEIA TAMBÉM: 40 produtos de beleza para comprar em farmácias dos EUA

Produtos como mercúrio, chumbo, arsênio, cianeto e até mesmo urina humana e excrementos de ratos foram encontrados nos cosméticos falsificados. Alguns deles podem, inclusive, gerar sérias reações alérgicas, como erupções cutâneas, queimaduras na pele ou até desfiguração e problemas de saúde no longo prazo

Vários internautas chineses também ficaram incomodados com a fraude. “Se você achou produtos na China que não são falsos, então você teve sorte”, afirmou um deles.

E TAMBÉM: Lancôme: a beleza tem preço e custa R$ 20 bilhões

Dos 15 suspeitos detidos na operação, 13 foram acusados. O caso surgiu, pela primeira vez, em fevereiro do ano passado, após uma reclamação sobre uma pasta de dente teoricamente fabricada pela empresa Amway. Mais tarde constatou-se que o produto era falsificado.

Investigações na loja que vendia o creme dental deflagraram a descoberta da rede que produzia e distribuía os cosméticos falsos nas províncias de Henan, Guangdong e Zhejiang. Em janeiro deste ano, um conglomerado de 50 fábricas que produzem molhos e aromas artificiais com ingredientes ilegais também foi desmascarado.

Comentários
Topo