Colunas

Millennial de 23 anos cria o primeiro “hackathon” a 12 mil metros do chão

Kostadin Kolev

Maratona de programação de Kostadin Kolev tem como objetivo revolucionar a indústria de viagens (Reprodução/FORBES)

Imagine que você está a mais de 12 mil metros acima do nível do mar, em uma velocidade de cerca de 900 km/h, com 32 das maiores mentes de toda a Ásia. Seu objetivo? Revolucionar a indústria de tecnologia de viagens.

Está é a proposta do empreendedor e co-fundador da Hack Horizon, Kostadin Kolev, de apenas 23 anos: o primeiro “hackathon”, algo como uma maratona de programação, sobre tecnologia de viagens em um voo que vai de Hong Kong a Londres. E, ao que tudo indica, a ideia tem despertado curiosidade: em seis dias, o vídeo-teaser da empresa sobre o evento tinha 20.000 visualizações e 200 compartilhamentos, com apenas US$ 10 de investimento.

LEIA MAIS: Conheça dois millennials que largaram a faculdade para criar a marca de relógios que mais cresce no mundo

Mas por que investir em uma viagem tão ousada? Kolev, que é búlgaro e vive tanto entre Londres e Hong Kong, explica: “Essa pode ser uma característica dos millennials, mas as viagens estão enraizadas na minha vida. Como engenheiro, eu enxergava muitas oportunidades de tornar a experiência de viagens algo melhor, mais simples e mais eficiente.”

Kolev vai além e explica sua visão para a Hack Horizon: “Eu juntei forças com os meus colegas de trabalho Kristy Hart e Johannes Jaeger, que co-fundaram a empresa comigo, para estimular o ecossistema de startups da Ásia-Pacífico, reunindo grandes talentos e auxiliando-os na construção de projetos que podem ajudar a remodelar essa indústria”. Kolev explica que a Ásia ultrapassou as imitações do Ocidente e se transformou em um celeiro de grandes talentos, inovação e startups. “A Hack Horizon não vai apenas colocar Hong Kong de volta nos mapas dos polos tecnológicos, mas vai ajudar a quebrar os silos no ecossistema de startups do país.”

LEIA TAMBÉM: Conheça a startup que alia trabalho remoto e viagens ao redor do mundo

Mas criar um “hackathon” de alto nível tem muitos desafios. “No início, eu gastei meses tentando me comunicar com um dos nossos atuais parceiros-chave. Depois de vários meses sem resposta, eu decidi tentar novamente e pedi para um dos nossos assessores fazer uma aproximação. No dia seguinte, recebi uma ligação de um executivo”, afirma Kolev. Ele explica que juntar iniciativas grandes e inéditas, especialmente quando você tem 20 e poucos anos, é algo que exige paciência. “Você chega tão perto de as coisas acontecerem e, de repente, elas não dão certo. Você precisa esperar pelos dominós se alinharem novamente.”

Mas, então, como um negociador de seguros de 23 anos lida com os grandes executivos da indústria que têm o dobro da sua idade? Kolev afirma que sua pouca idade começou a lhe trazer vantagens quando ele começou a apresentar seus insights como um millennial no mercado de viagens. Ele também usou essa estratégia para reforçar os seus discursos e comandar os seus próprios eventos sobre tecnologia de viagens.

E TAMBÉM: Como dois millennials construíram uma empresa milionária por meio das redes sociais

Mas o jovem empreendedor sabia que seria necessário, em primeiro lugar, construir uma comunidade de entusiastas de tecnologia de viagens. Para isso, ele organizava reuniões mensais sobre o assunto em Hong Kong e em Londres, batizadas de Travel Tech Tuesdays. Ao oferecer eventos gratuitos com conteúdos de qualidade e discussões, Kolev trouxe seu público-alvo para perto e estabeleceu uma agenda.

Para aqueles que não podiam participar dos encontros, Kolev ampliou sua capilaridade com a criação do Runway Rundown Reports – relatórios que oferecem insights sobre os últimos desenvolvimentos tecnológicos das companhias aéreas. Ele colocou esses documentos em seu site para download, além de distribuí-los para os principais veículos de comunicação especializados em viagens.

VEJA MAIS: Em parceria com H&M, Google lança projeto de moda baseado em tecnologia

Os executivos de grandes marcas do segmento de viagens, como Airbus, Cathay Pacific, AirAsia e Marriott, começaram a baixar o material. Quando isso aconteceu, Kolev passou a ter acesso a eles e começou a construir um número maior de relacionamentos. Por meio da das Travel Tech Tuesdays e dos Runway Rundown Reports, o jovem construiu uma comunidade de 4.000 entusiastas dos temas tecnologia e viagens.

Muitos podem argumentar que a empresa é apenas um truque de relações públicas, mas Kolev acredita que a indústria de viagens precisa de uma iniciativa de grande público para demonstrar o potencial da inovação por meio da tecnologia.

A viagem da Hack Horizon será entre os dias 5 e 8 de maio, pela British Airways, e sairá do Hong Kong Internacional com destino ao aeroporto Heathrow.

Comentários
Topo