Colunas

Empresas apostam no uso de plásticos recicláveis para estradas

As holandesas KWS, Wavin e Total se uniram para elaborar o protótipo de uma estrada feita de plástico reciclável. Batizada de PlasticRoad, a iniciativa, por enquanto, ainda está na fase de projeto, com previsão de que a implementação comece no final de 2017. Mas as três companhias não são as únicas a imaginarem essa nova função para o material. A startup MacRebur, do Reino Unido, também propõe a utilização de plásticos descartados para consertar buracos em rodovias.

LEIA MAIS:Como a Natura aposta na sustentabilidade para ser uma das empresas mais inovadoras do país

Cada uma das empresas por trás da PlasticRoad é focada em um setor. A KWS é líder de mercado na fabricação de asfalto e construção de estradas na Holanda, enquanto a Wavin é especialista na reciclagem de plásticos e na fabricação de produtos para drenagem. Já a Total está engajada na melhoria das técnicas de produção e de reciclagem.

A MacRebur surgiu de uma iniciativa do CEO Toby McCartney depois de uma viagem para Mumbai, na Índia, onde, pela primeira vez, ele se deparou com um depósito de lixo com grande quantidade de plásticos usados. Ao voltar para sua cidade natal, McCartney se juntou a dois sócios, Nick e Gordon, e os três passaram 18 meses testando misturas de plásticos. O resultado final dessa experiência foi o MR6 – produto que, neste momento, espera o registro definitivo de patente.

A previsão é de que a primeira estrada de plástico reciclável comece a ser construída no final deste ano

A PlasticRoad promete ir muito além das estradas e planeja usar o plástico reciclável para armazenar água, gerar energia e armazenar tubulações. Todo seu processo de instalação e funcionamento também indica que será mais simples que o de estradas convencionais, pois as peças pré-fabricadas, que juntas formam a estrada, serão mais leves, fáceis de transportar e de mais fácil manutenção. Um dos objetivos por trás do projeto é colaborar para uma economia circular e aumentar os cuidados com o meio ambiente, uma vez que as estradas, assim que não estiverem mais aptas ao uso, poderão ser recicladas.

A MacRebur, por sua vez, está buscando solucionar alguns problemas encontrados no MR6. O primeiro deles é diminuir a poluição causada pelo plástico: estima-se que, atualmente, existam cinco trilhões de partículas do material nos oceanos. O novo produto é feito 100% com plásticos recicláveis, atua diretamente nos reparos das rodovias e no aumento da durabilidade e apresenta valores mais acessíveis dos que os asfaltos convencionais.

No Brasil

Ainda no Ensino Médio, as amigas Samantha Karpe, 22 anos, e Letícia Camargo, 23 anos, elaboraram o plano: criar um tipo de asfalto que fosse mais seguro, durável e bem mais em conta do que o convencional. Até que em 2013 nasceu a liga de asfalto Poliway, obra da dupla, hoje cursando engenharia. Sua fórmula é composta por materiais descartáveis, dispensa o uso de piche e suporta cargas até cinco vezes mais pesadas do que o asfalto tradicional.

Veja detalhes da PlasticRoad e do MR6, da MacRebur, na galeria de fotos:

  • Projeto da PlasticRoad, com sistema de armazenar água

  • A instalação da PlasticRoad é simples, pois as peças já estão prontas

  • Propaganda da MacRebur: “Essa estrada é feita de plásticos descartados”.

Projeto da PlasticRoad, com sistema de armazenar água

Assista ao vídeo do projeto PlasticRoad abaixo:


Comentários
Topo