Colunas

Nevada aprova uso recreativo de maconha

(iStock)

Vendas legalizadas serão permitidas a partir do dia 1º de julho (iStock)

Nevada está retomando sua reputação de estado mais pecaminoso dos Estados Unidos – até então pertencente ao Colorado – ao permitir que a venda de maconha seja legalizada para adultos a partir do dia 1º de julho. As vendas começarão à 0h de sexta-feira, quando pessoas acima dos 21 anos, com documento de identificação, passarão a ter permissão para comprar aproximadamente 28 gramas de maconha, ou cerca de 3,54 gramas da erva infundida comestível ou concentrados em lojas licenciadas.

VEJA TAMBÉM: Mercado legal de maconha vai superar o ilegal até 2026

O data de início das vendas quase foi alterada quando, na última semana, um juiz em Carson City, Nevada, decidiu que a aprovação exigia que, durante os primeiros 18 meses, as distribuidoras de álcool tivessem direitos exclusivos sobre a distribuição do produto. Transportar maconha medicinal não exige uma licença de distribuição. A decisão de última hora, com uma regulamentação de emergência sobre a embalagem, fez muitos operadores se esforçarem para garantir que estariam dentro das exigências até 1º de julho. Muitos estavam estocando o inventário apenas para o caso de acontecer algum problema com as distribuidoras.

Estudos prevêem que o estado arrecade US$ 393 milhões em vendas anuais de maconha em 2018

A Baker, uma varejista online de cannabis utilizada por muitos dispensários (onde o produto é preparado e oferecido), afirmou que um de seus parceiros, a Blackbird Logistics, conseguiu a licença para a distribuição de álcool e continuará a operar. O diretor executivo da empresa, Joel Milton, disse que espera que entre 80% e 90% da receita das vendas de maconha seja gerada por turistas, e cita o fato de que 70% da comercialização com fins medicinais no estado já vem dos visitantes da região.

As análises econômicas e de benefícios tributários preparadas pelo RCG Economics, consultoria financeira de Las Vegas, em parceria com o Marijuana Policy Group (Grupo de Política da Maconha, em português) prevêem que o estado arrecade US$ 393 milhões em vendas anuais da maconha em 2018 – valor que deve aumentar para US$ 485 milhões até 2024. É esperado que, deste total, US$ 60 milhões sejam de rendimentos fiscais, dos quais US$ 20 milhões serão repassados às escolas. A previsão é que a nova indústria gere 3.300 empregos.

VEJA MAIS: Como a maconha pode ajudar a combater a epidemia de heroína nos Estados Unidos

O aumento do turismo no Colorado começou quando o estado legalizou o uso da maconha para adultos e os turistas começaram a frequentar a região, em busca da novidade. No último ano, estava entre os dez estados mais visitados por turistas de acordo com o escritório de turismo da região – algo que não acontecia em 22 anos -, atraindo 82,4 milhões de visitantes que gastaram US$ 19,7 bilhões. O fato não passou despercebido por Nevada, que se orgulha de ter um comportamento questionável e arrecadou apenas US$ 3,23 bilhões com turismo no mesmo período.

“A era da proibição da maconha está finalmente chegando ao fim em Nevada”, afirma Mason Tvert, diretor de comunicação do MPP – Marijuana Policy Project (Projeto da Política da Maconha, em português), que apoiou a iniciativa de regulamentar a erva da mesma forma que o álcool e que foi aprovada por, aproximadamente, 54,5% dos eleitores do estado em novembro. O MPP apoiou iniciativas semelhantes – e que fracassaram – em 2002 e 2006. “Adultos conseguirão comprar maconha da mesma maneira que compram álcool, de empreendimentos regulamentados em vez de criminosos no mercado ilegal”, completa.

E MAIS: Conheça o homem que levou a maconha para o mundo da moda

O senador do estado, Tick Segerblom, era um grande apoiador da legalização da maconha e é esperado que ele esteja, à meia-noite em ponto, na Reef Dispensaries. “Será o auge de dois anos de trabalho duro feito por um exército de pessoas que moram em Nevada. Estou muito orgulhoso de fazer parte disso”, disse ele. “Será um dia memorável na história de Las Vegas.”

A Reef garante que decisões de última hora não afetarão a empresa e que está preparada para atender grandes multidões. Ela distribuirá um chapéu com a inscrição “Day 1” (Dia 1) no primeiro dia para os primeiros 100 clientes da fila. E também está organizando um grande evento para celebrar o acontecimento que incluirá um show de fogos de artifício no terraço, DJs, food trucks e estandes de patrocinadores de fornecedores locais de cannabis. “Estamos extremamente animados por conduzir o lançamento da cannabis recreativa ao estilo de Nevada”, afirma Matt Morgan, CEO da empresa. “Esperamos ser um exemplo que outros mercados possam seguir, construindo a base para uma eventual legalização nacional”, conclui.

LEIA TAMBÉM: Austrália legaliza cultivo de maconha medicinal

A Baker levantou a hipótese de a demanda dos turistas aliada a um problema de distribuição no último minuto acarretar a escassez do produto. “Uma coisa que me preocupa é o lado da oferta da indústria em Nevada”, afirma Milton. “No Colorado, nós temos mais de 2,5 vezes a quantidade de cultivadores em relação a quantidade de dispensários, enquanto em Washington este valor é de mais de 1,5. Em Nevada, a proporção é menor, gira ao redor de 1,1. Isso pode causar uma grande pressão no fornecimento, pois a demanda está prestes a crescer de maneira intensa.”

A habilidade de estimular o mercado recreativo irritou pessoas de outros estados que apoiam a legalização de uma forma geral. Os eleitores da costa leste vêm aprovando medidas de legalização apenas para ver se seus políticos interferem a ponto de estagnar o processo. A Califórnia legalizou o uso para adultos, mas o processo para estabelecer o programa tem sido lento.

“A venda legal de maconha em Nevada vai acelerar o crescimento do apoio público para acabar com a proibição”, afirma Tvert. “Milhões de visitantes de todo os Estados Unidos e ao redor do mundo verão, em primeira mão, que regulamentar a maconha realmente funciona. O que acontece em Vegas, permanece em Vegas, mas o que é aprendido sobre maconha em Vegas vai ser compartilhado com todos ao voltarem para suas casas.”

Comentários
Topo