Colunas

Presidente da Eletrobras chama funcionários de “vagabundos”

Divulgação

Em áudio vazado da reunião de reestruturação da estatal, Wilson Ferreira usou as palavras para criticar alguns diretores (Divulgação)

O presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Jr., chamou os funcionários da estatal de “vagabundos” e “safados”, de acordo com um áudio vazado de uma reunião do plano de reestruturação da companhia e divulgado pela revista “Veja”. “São 40% de cara que é inútil [sic], não serve para nada, ganhando uma gratificação, um telefone, uma vaga de garagem, uma secretária. Vocês me perdoem. A sociedade não pode pagar por vagabundo, em particular, no serviço público”, diz Ferreira no áudio. O presidente da estatal se referia ao excesso de cargos de liderança. “Temos muito mais gerentes do que precisa. Temos um monte de safado, lamentavelmente, que ganha lá 30, 40 paus [mil reais]. Tá lá em cima, sentadinho.”

LEIA MAIS: Qual é o efeito da Lava Jato sobre os negócios no Brasil?

O áudio foi o estopim para a paralisação dos funcionários promovida pelo sindicato da empresa nesta quinta-feira (22). A repercussão levou Ferreira a pedir desculpas e reconhecer que excedeu o tom ao falar de “situações inaceitáveis dentro de uma empresa do porte da Eletrobras, como falta de comprometimento de alguns gerentes”.

Ferreira assumiu a presidência da Eletrobras no ano passado, após o impeachment de Dilma Rousseff. O objetivo do executivo é realizar um plano de reestruturação que visa cortar custos, assim finalizando a crise financeira pela qual a companhia está enfrentando no momento.

Uma das medidas é reduzir o quadro de funcionários de 23 mil para 12 mil, além da venda de imóveis administrativos e de distribuidoras de energia do grupo. O objetivo é chegar a uma economia de R$ 2,5 bilhões.

Comentários
Topo