Colunas

Procuradoria espanhola acusa Cristiano Ronaldo de evasão fiscal de € 15 mi

Getty Images

Cristiano Ronaldo é o mais recente de uma longa lista de jogadores que atuam no futebol espanhol – entre eles Lionel Messi e Neymar, do Barcelona (Getty Images)

Cristiano Ronaldo está enfrentando uma ação civil apresentada nesta terça-feira (13/06) pela Procuradoria de Madri, que o acusa de ter sonegado € 14,7 milhões ao fisco da Espanha entre 2011 e 2014.

LEIA MAIS: 25 atletas mais bem pagos de 2017

Em um comunicado, a Procuradoria disse que Cristiano Ronaldo, atacante do Real Madrid, usou intencionalmente uma estrutura de negócios criada em 2010 para supostamente ocultar sua renda de direitos de imagens na Espanha.

Isso envolve uma omissão “voluntária” para cumprir suas obrigações tributárias no país, disse o informe da seção de crimes econômicos da Procuradoria. As quatro acusações de evasão fiscal se basearam em um relatório do organismo fiscal espanhol.

O Real Madrid não quis comentar, e as ligações à Gestifute, a agência que representa Ronaldo, não tiveram resposta.

Ronaldo, que ajudou o Real Madrid a conquistar sua 12ª Copa da Europa no início deste mês, é o mais recente de uma longa lista de jogadores que atuam no futebol espanhol – entre eles Lionel Messi e Neymar, do Barcelona – que se tornaram réus em casos ligados a impostos ou transferências.

VEJA TAMBÉM: 50 celebridades mais bem pagas do mundo em 2017

Entre 2005 e 2010, jogadores estrangeiros que atuam na Espanha foram protegidos pela chamada “Lei de Beckham”, que lhes permitia pagar menos impostos. Mas quando a crise financeira se agravou essa isenção foi anulada, abrindo caminho para os processos.

A Procuradoria alega que Ronaldo defraudou o fisco em € 1,4 milhão em 2011, € 1,7 milhão em 2012, € 3,2 milhões em 2013 e € 8,5 milhões em 2014.

Ronaldo, que é português, se tornou morador e contribuinte espanhol em janeiro de 2010, e em novembro de 2011 optou pelo regime de impostos espanhóis que se aplica a estrangeiros que trabalham na Espanha, explicou o comunicado.

E MAIS: 20 times de futebol mais valiosos do mundo

Ele deveria ter pago uma taxa de 24% em 2011 e de 24,75% nos três anos seguintes, segundo o informe.

O procurador disse que, depois que Ronaldo assinou com o Real Madrid em dezembro de 2008, cedeu seus direitos de imagens a uma empresa chamada Tollin Associates Ltd, sediada nas Ilhas Virgens Britânicas, da qual é o único acionista.

Mais tarde, a Tollin Associates cedeu os direitos a Multisports&Image Management Ltd, na Irlanda.

“Ceder os direitos de imagens [a Tollin Associates] foi completamente desnecessário, e seu único propósito foi criar um disfarce para ocultar a totalidade de sua renda de direitos de imagens das autoridades fiscais espanholas”, disse o comunicado.

(Por Emma Pinedo e Angus Berwick)

Comentários
Topo