Colunas

União Europeia multa Google em valor recorde de US$ 2,7 bi por infração antitruste

iStock

Comissão Europeia disse que o Google tem 90 dias para deixar de favorecer seu próprio serviço de compras (iStock)

O órgão regulador antitruste da União Europeia aplicou uma multa ao Google, controlado pela Alphabet, no valor recorde de € 2,42 bilhões (US$ 2,7 bilhões), nesta terça-feira (27), indicando que adotará uma linha dura em relação à companhia em dois outros casos em andamento.

LEIA MAIS: Google deve receber multa recorde de órgão antitruste da UE já na terça-feira

A Comissão Europeia disse que a ferramenta de pesquisa na internet mais popular do mundo tem 90 dias para deixar de favorecer seu próprio serviço de compras ou enfrentar uma pena adicional de até 5% do faturamento médio diário da Alphabet no mundo.

A Comissão considerou que o Google ofereceu sistematicamente uma posição proeminente nas pesquisas para seu próprio serviço de comparação de compras e que rebaixou o serviço de rivais nos resultados.

“O que o Google fez é ilegal sob leis antitruste da União Europeia. Ele negou a outras companhias a chance de competir nos méritos e de inovar. E mais importante, ele negou aos consumidores europeus uma escolha genuína de serviços e os benefícios completos da inovação”, disse a comissária europeia da concorrência, Margrethe Vestager, em comunicado.

Essa é a maior multa dada a uma única companhia em um caso antitruste da União Europeia, excedendo a penalidade de € 1,06 bilhão cobrada da produtora de chips norte-americana Intel em 2009.

VEJA TAMBÉM: Google endurece medidas para remover conteúdo extremista do YouTube

Esse também é o maior revés regulatório para o Google, que chegou a um acordo com fiscais dos Estados Unidos em 2013 com uma exigência para parar de “descartar” análises e outros dados de sites rivais em benefício de seus próprios produtos.

O órgão fiscalizador de concorrência da União Europeia também acusou o Google de usar seu sistema operacional Android para derrubar rivais, um caso que tem potencial de ser o mais prejudicial para a companhia, com o sistema sendo usado na maioria dos smartphones.

A companhia também foi acusada de bloquear rivais em publicidades de pesquisas online, com a Comissão advertindo sobre multas dissuasivas se o Google for considerado culpado de quebrar regras da União Europeia.

(Com Reuters)

Comentários
Topo