Colunas

5 maneiras de impulsionar seu dia com práticas simples de mindfulness

As pessoas vivem, a cada dia que passa, mais tensas e estressadas, com agendas repletas de reuniões, compromissos e afazeres. Essa rotina de trabalho costumava, em tempos passados, ser algo intermitente o suficiente para que fosse possível notar o contraste entre os dias cheios e os demais. No século 21, porém, este estado parece ser a nova norma.

LEIA TAMBÉM: 9 benefícios do mindfulness que ajudam a reduzir o estresse

No entanto, isso pode ser muito prejudicial, o que torna fundamental refletir sobre o que pode ser feito para melhorar a situação. Ainda que nem sempre seja possível limpar nosso calendário das tarefas que temos de fazer, com práticas de mindfulness é possível limpar a mente da rotina habitual, que bloqueia a criatividade e a compaixão.

Uma ferramenta poderosa, de acordo com o portal especializado “Mindful”, é fazer pausas com objetivos – pequenos intervalos na correria do dia a dia. Por meio delas é possível recuperar o foco e, assim, fazer escolhas conscientes em relação ao nosso trabalho e às atividades mais produtivas, criativas e solidárias.

Veja, na galeria de fotos a seguir, cinco práticas simples de mindfulness para tornar o seu dia mais produtivo e menos estressante:

  • Comece o dia com uma bebida

    A ideia é que a primeira pausa do dia seja para uma xícara de café ou chá.

    O que fazer:
    -Comece com a intenção de perceber a experiência. Independentemente de você preparar o seu próprio café ou chá ou de comprá-lo, preste atenção na preparação. Perceba o que o seu corpo sente enquanto você bebe: os sons no ambiente, o aroma do café, o calor da xícara na sua mão, o sabor quando você toma o primeiro gole e as sensações de calor enquanto o café é engolido;
    -Não seja multitarefa: sem celulares, laptops, jornais etc. Apenas aproveite o momento com sua bebida em mãos e, quando a sua mente o levar, por exemplo, para revisar sua lista de afazeres, direcione sua atenção unicamente de volta à experiência de beber seu café;
    -Ao começarmos o dia com essa pausa, estamos intencionalmente fazendo um pequeno treinamento para que nossas mentes estejam presentes. Para isso, usamos as sensações do nosso corpo. E isso é muito melhor do que deixar o café esfriar enquanto estamos distraídos com mensagens ou listas de afazeres ou do que perder completamente a experiência, a ponto de nos perguntarmos se, de fato, tomamos uma xícara de café. No fim, nossa atenção estará descansada para colocarmos em prática nossa próxima tarefa.

  • Use a porta

    As manhãs dos dias de trabalho podem ser muito frenéticas. Mesmo que o alarme tenha sido desligado na hora certa e você tenha tomado sua bebida matinal, há sempre alguma coisa: um filho doente, um carro que não funciona, uma ligação inesperada. Ainda que não haja crises familiares ou domésticas preenchendo as manhãs, não há como prever como estará o trânsito ou quais fatores de atraso podem ser encontrados pela frente. Tais imprevistos podem provocar uma chegada ao trabalho já com um certo nível de estresse. E este é o momento perfeito para usar a porta.

    O que fazer:
    -Quando você chegar até a porta, preste atenção em si mesmo. Traga a sua mente para onde o seu corpo está, prestes a fazer uma transição para uma nova situação. Deixe a maçaneta, se houver, ser o seu lembrete. É um local natural para pausar por um breve momento antes de abrir a porta. Desta vez, quando você começar a chegar perto da maçaneta, permita que ela o lembre de fazer uma checagem rápida: perceba se você está presente nesse momento de sua vida;
    -Preste atenção às sensações do seu corpo: a sensação da maçaneta, os músculos se tensionando para empurrar a porta, as diferenças de temperatura entre o interior e o exterior, os sons na rua ou no lobby do prédio, a respiração;
    -Estes poucos momentos em que, deliberadamente, prestamos atenção na nossa experiência de chegar no trabalho e percebemos tudo o que há para perceber podem nos ajudar a ficar mais centrados antes de começar o dia.

  • Não olhe apenas para trás

    Não deixe sua crítica depender de retrospectivas. Quão frequentemente, após uma série de reuniões, olhamos para trás e pensamos em como o tempo passou rápido a ponto de não nos deixar perceber o que é realmente importante? Usando mais a previsão do que a retrospectiva, é importante olhar de perto o que está acontecendo no dia a dia e manter o cenário todo em mente, de forma a fazer escolhas conscientes sobre como encarar as próximas horas.

    O que fazer:
    -Comece com uma pausa antes de ir para o primeiro compromisso ou reunião. Separe alguns momentos para observar seu calendário do dia. Há espaço para o que é importante? Você separou algum tempo para cuidar de si mesmo física e emocionalmente? Você está indo a alguns compromissos simplesmente por hábito? Há outras reuniões que não servem para nenhum objetivo real?;
    -Quando nós passamos a maior parte do nosso tempo apagando incêndios, não conseguimos fazer o que é importante de fato. É empobrecedor e, no fim das contas, insustentável. Além disso, muitos incêndios se apagam sozinhos sem qualquer intervenção;
    -Então, caso você não tenha espaço em seu cronograma para o que é realmente importante para você e para o seu trabalho, ou se você tem ido a reuniões com pouco ou nenhum objetivo, experimente fazer uma pequena mudança em seu calendário todos os dias. Para isso, pode ser preciso um pouco de coragem já que, no curto prazo, é mais fácil só seguir com a loucura. Lembre-se: não precisa ser uma grande mudança, apenas um pequeno passo;
    -Seja disciplinado com essa prática até que ela se torne um hábito. E nunca subestime o efeito dessas pequenas mudanças.

  • Um almoço poderoso

    A expressão “power lunch” remete, normalmente, a imagens de homens em ternos caros indo a restaurantes de alto padrão para tomar um drinque, almoçar e fechar um contrato. Porém, um almoço diferente é uma parte importante de cultivar a capacidade de conduzir sua vida de maneira mais focada, clara e solidária. Neste almoço, o poder consiste em fazer uma pausa para, de fato, nutrir seu corpo, conectar-se com alguns amigos e colegas e fazer um intervalo na atribulação do dia. A ideia é fazer escolhas conscientes que deem poder ao seu corpo, mente e coração.

    O que fazer:
    -Primeiramente, olhe para seu calendário e separe tempo para almoçar todos os dias. Este pode ser o passo mais difícil. Não é raro que as pessoas pulem esta refeição porque estão ocupadas demais ou porque alguém marcou reuniões bem naquele horário. Certifique-se de separar tempo para abastecer seu corpo. Você não pode ter poder se não houver combustível!;
    -Em seguida, convide alguns colegas ou amigos para se juntarem a você. Passar tempo cultivando conexões com pessoas abastece a mente e o coração. Quando participamos de conversas e sentimos as conexões que temos com outras pessoas, saímos da nossa mente excessivamente ocupada. Podemos usar esta pausa durante o almoço para comer conscientemente – sentindo os sabores, cheiros, cores e texturas.

  • Caminhe

    O dia está indo bem até que você percebe uma tensão familiar no pescoço e nos ombros ou sente o coração acelerar quando sua mente se enche de julgamentos, preocupações e planejamentos. Este é um momento excelente para fazer o que os atletas fazem: caminhar. Basta andar até a copa, o banheiro ou até a sua próxima reunião – e fazer disso uma pausa com objetivo. Use esse tempo para explorar, mais uma vez, assim como no café matinal, a sensação do corpo e da mente durante uma atitude rotineira e simples, como uma ferramenta de mindfulness.

    O que fazer:
    -Quando você começar a caminhar, pare de olhar para o celular e apenas ande. Perceba seus pés tocando o chão, o ar tocando a sua pele, os sons de vozes e máquinas, as expressões nos rostos das pessoas etc;
    -Sempre que você perceber sua mente voltando para algum ponto da última reunião, imaginando algo terrível que poderia acontecer ou planejando o que você vai dizer na próxima apresentação, simplesmente redirecione sua atenção à experiência do seu corpo andando pelo corredor;
    -Ancorar-nos à experiência presente de andar pelo corredor pode quebrar o ciclo de pensamentos e preocupações incessantes que toma conta de nós.

Comece o dia com uma bebida

A ideia é que a primeira pausa do dia seja para uma xícara de café ou chá.

O que fazer:
-Comece com a intenção de perceber a experiência. Independentemente de você preparar o seu próprio café ou chá ou de comprá-lo, preste atenção na preparação. Perceba o que o seu corpo sente enquanto você bebe: os sons no ambiente, o aroma do café, o calor da xícara na sua mão, o sabor quando você toma o primeiro gole e as sensações de calor enquanto o café é engolido;
-Não seja multitarefa: sem celulares, laptops, jornais etc. Apenas aproveite o momento com sua bebida em mãos e, quando a sua mente o levar, por exemplo, para revisar sua lista de afazeres, direcione sua atenção unicamente de volta à experiência de beber seu café;
-Ao começarmos o dia com essa pausa, estamos intencionalmente fazendo um pequeno treinamento para que nossas mentes estejam presentes. Para isso, usamos as sensações do nosso corpo. E isso é muito melhor do que deixar o café esfriar enquanto estamos distraídos com mensagens ou listas de afazeres ou do que perder completamente a experiência, a ponto de nos perguntarmos se, de fato, tomamos uma xícara de café. No fim, nossa atenção estará descansada para colocarmos em prática nossa próxima tarefa.

Comentários
Topo