Colunas

Paul McCartney faz acordo sobre direitos de músicas dos Beatles

Divulgação

McCartney reivindicava mais de 260 direitos autorais, incluindo de canções creditadas a ele e John Lennon, como “I Want to Hold Your Hand,” “Yesterday” e “Hey Jude” (Divulgação)

Paul McCartney fez um acordo confidencial para resolver uma ação civil contra a Sony/ATV Music, na qual reclamava os direitos autorais de músicas dos Beatles.

LEIA MAIS: 50 celebridades mais bem pagas do mundo em 2017

O acordo, que foi revelado na quinta-feira (29) em documentos registrados na Corte Distrital de Manhattan, encerra o esforço preventivo do músico de 75 anos para garantir que os direitos autorais, que já pertenceram a Michael Jackson, sejam dele a partir de outubro de 2018.

O juiz distrital Edgardo Ramos assinou uma ordem anulando a ação, mas concordou em reanalisá-lo no caso de uma contestação.

O pedido de anulação foi feito por Michael Jacobs, um advogado de Paul, em nome do cantor e da Sony/ATV.

Não ficou claro como o entendimento afeta as reivindicações de direitos autorais de Paul e não foi possível contatar os representantes do músico de imediato para obter comentários nesta sexta-feira (30).

Paul havia aberto o processo em 18 de janeiro pedindo uma declaração que dissesse que ele pode reivindicar mais de 260 direitos autorais, incluindo de canções creditadas a ele e John Lennon, como “I Want to Hold Your Hand,” “Yesterday” e “Hey Jude”.

VEJA TAMBÉM: 40 músicos mais bem pagos do mundo

As solicitações em questão também cobriam “Maybe I’m Amazed” e várias outras canções que Paul gravou como artista solo. A demanda incluía até mesmo títulos como “Scrambled Egg”, que é parecida com a versão inicial da letra de “Scrambled Eggs”, que Paul usou certa vez para a canção que se tornou “Yesterday”.

Em 1985 Michael Jackson deu um lance maior do que o ex-Beatle pelos direitos autorais da banda, que mais tarde foram absorvidos pela Sony/ATV, uma joint-venture da Sony.

O espólio do astro pop vendeu sua participação no empreendimento para a Sony por US$ 750 milhões no ano passado.

Comentários
Topo