Colunas

Giorgio Armani diz que seu sucessor não precisa ser italiano

Getty Image

Armani nunca deixou claro quem ele gostaria que assumisse o controle da empresa (Getty Image)

O estilista veterano Giorgio Armani disse nesta segunda-feira (18) que a imagem de sua marca pode se beneficiar se ele escolher um sucessor – que não precisa necessariamente ser italiano para quando se aposentar.

LEIA MAIS: 10 maiores bilionários da moda em 2016

Agora com 83 anos e ainda administrando a companhia que fundou na década de 1970, Armani nunca deixou claro quem ele gostaria que assumisse o controle da segunda maior casa de moda italiana quando deixar o cargo.

Em um primeiro passo para lidar com questões de sua sucessão, Armani criou, no ano passado, uma fundação em seu nome para proteger o futuro do grupo.

Em uma entrevista ao canal italiano de televisão “RaiNews24” nesta segunda-feira, Armani disse que há pessoas dentro do grupo que podem dar continuidade a seu trabalho. “Eu tenho vários pequenos herdeiros”, disse, referindo-se a suas duas sobrinhas, seu sobrinho e seu assistente de longa data, Pantaleo Dell’Orco. “[Essas são] pessoas que podem fazer boas coisas seguindo meu caminho.”

As sobrinhas de Armani, Roberta e Silvana, trabalham no grupo, enquanto o primo delas, Andrea Camerana, deixou a companhia recentemente, mas ainda faz parte do conselho da empresa. Dell’Orco é responsável pelas linhas masculinas e faz parte do conselho da fundação.

VEJA TAMBÉM: A história do tradicional e elegante terno Armani

Perguntado se seu sucessor precisaria ser italiano, Armani disse: “Não é garantido. Vamos lembrar que nos anos 1970-1980, estilistas eram franceses e eram eles que nós seguíamos”.

Comentários
Topo