Colunas

Streaming de músicas cresce nos Estados Unidos

iStock

Cerca de dois anos atrás, os downloads eram o motor por trás da indústria (iStock)

O CD, o MP3 e o rádio estão cada vez mais ofuscados pela revolução do streaming. Mais do que nunca, os norte-americanos estão fazendo assinaturas em serviços como Spotify e Apple Music. Entretanto, nem sempre foi assim. Cerca de dois anos atrás, os downloads eram o motor por trás da indústria da música, enquanto nos Estados Unidos existiam apenas 9,1 milhões de assinaturas pagas.

LEIA TAMBÉM: Saiba quais são os critérios para escolher a “música do verão”

De acordo com um relatório da Recording Industry Association of America (RIAA), que representa as gravadoras nos Estados Unidos, esse número triplicou, chegando a 30,4 milhões nos primeiros seis meses de 2017. O incremento rendeu dividendos para a indústria da música, com as receitas de venda crescendo 17% no último ano, para US$ 4 bilhões. No geral, os serviços de streaming registraram uma grande parte do sucesso da indústria da música até agora, sendo responsável por 62% do total da receita.

Veja, no gráfico abaixo, o número de assinaturas de música paga nos Estados Unidos nos últimos anos até a metade de 2017:

Forbes Brasil

Comentários
Topo