Colunas

Além da ficção

Cláudio Rossi

Estande da NEC com as soluções de reconhecimento facial no Futurecom 2017 (Cláudio Rossi)

Ninguém gosta de fazer check-in no aeroporto, especialmente se estiver atrasado. O mundo seria melhor se não precisássemos fazê-lo. A NEC, empresa multinacional japonesa provedora de soluções digitais, transformou esse desejo em realidade por meio do reconhecimento facial, sem a necessidade de cliques. Depois da operação, as informações do cliente, do número e destino do voo e do portão de embarque ficam disponíveis em um painel.

“É a transformação da empresa em fornecedora de soluções em alta tecnologia”, diz Daniel Mirabile, CEO Brasil da companhia. A NEC, anteriormente, concentrava-se no fornecimento de material de infraestrutura para operadoras de telefonia. “Continuamos vendendo, mas é commodity”, explica o executivo, completando que os produtos tradicionais não geravam mais aumento de receita. Agora, as empresas têm que prover soluções que criem valor para o cliente e sejam diferenciadas no mercado.

Essas soluções, até há pouco tempo, não estavam disponíveis no Brasil. “Trouxemos do Japão o que não existia por aqui”, explica Mirabile. “O cliente relata seu problema e nós providenciamos a solução”, diz, ressaltando que não há imposição por um pacote pronto da NEC, mas sim por uma proposta desenvolvida depois de conversas e visitas à empresa.

Um dos problemas enfrentados atualmente é a diferenciação de tratamento nas lojas físicas e no e-commerce. Durante a Futurecom, o estande da NEC apresentou uma solução com reconhecimento facial para o varejo, aproximando a experiência do usuário no site à da loja física. Ao entrar no estabelecimento, o sistema identifica o rosto do cliente – previamente cadastrado no banco de dados – e personaliza a propaganda, disponibilizando em um display os produtos nos quais ele pode ter interesse. No próprio display, o cliente pode realizar a compra das mercadorias sugeridas com poucos cliques – caso não esteja no estoque, o produto será entregue na casa do consumidor. Um terminal de videoconferência ao lado fica disponível para esclarecer dúvidas.

O sistema de pagamento também é revolucionário: o reconhecimento facial apresenta os dados da compra em um painel e com apenas um clique ela é finalizada, sem a necessidade de digitar o número do cartão de crédito. “Esperamos que mude o varejo”, afirma Mirabile.

Este BrandVoice® é de responsabilidade exclusiva dos autores e não reflete, necessariamente, a opinião de FORBES Brasil e de seus editores

Comentários
Topo