Colunas

Valor de mercado da Braskem quadruplica desde prisão de Marcelo Odebrecht

Getty Images

Prisão do empresário Marcelo Odebrecht ocorreu em junho de 2015 (Getty Images)

Os negócios do grupo Odebrecht foram duramente penalizados pela prisão do empresário Marcelo Odebrecht, que vai deixar a carceragem amanhã (19), depois de 2 anos e meio de detenção. Mas a detenção não conseguiu deter a disparada do valor de mercado da Braskem, a joia da coroa do império familiar.

LEIA MAIS: Leia trecho da biografia não-autorizada de Marcelo Odebrecht

Única empresa de capital aberto do conglomerado, a maior petroquímica das Américas está cotada em bolsa hoje em R$ 34,7 bilhões, mais de quatro vezes o seu valor em junho de 2015, quando Marcelo Odebrecht foi preso.

Na ocasião, a Braskem valia em pregão R$ 7,56 bilhões, cerca de 17% de sua receita líquida na época.

Com a alta de 360% em pregão desde junho de 2015, data da prisão do empresário, o atual valor de mercado da companhia equivale a quase 80% de sua receita anual. O desempenho acionário é atribuído aos números vigorosos da empresa petroquímica.

A família Odebrecht é dona de cerca de 8,4% do capital da Braskem, por meio da Kieppe Patrimonial. O patrimônio do clã na companhia equivale a R$ 3 bilhões pela cotação atual.

 

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br)

Comentários
Topo