Cemig prepara troca na cúpula e CEO da Light deve assumir comando

O movimento tem como objetivo acelerar o andamento de um ambicioso plano de desinvestimentos da companhia (iStock)

A estatal mineira Cemig passará por mudanças no comando, e o atual presidente de sua controlada Light, Luís Fernando Paroli, deverá ser o indicado pelo governo de Minas Gerais para assumir o cargo de CEO na companhia, disseram à Reuters quatro fontes com conhecimento do assunto.

LEIA MAIS: General Electric tem prejuízo de US$ 10 bi e queda de receita no 4º tri

O movimento tem como objetivo acelerar o andamento de um ambicioso plano de desinvestimentos da companhia, que não tem andado no ritmo desejado sob a atual gestão, disseram as fontes, que falaram sob a condição de anonimato porque o assunto ainda não é discutido em público.

A Reuters publicou no final de setembro que o governo mineiro decidiu substituir o atual presidente da Cemig, Bernardo Salomão Alvarenga. Na época, a previsão era de que a mudança ocorresse ainda em 2017.

Agora a expectativa é de que a substituição seja efetivada em meados de fevereiro ou março, segundo duas das fontes. “O governador vai colocar o Paroli… Ele tem se demonstrado um executivo com muita habilidade na Light”, disse uma das fontes. “Existe uma necessidade de troca no comando devido à fraca atuação da companhia nos desinvestimentos. O governador [Fernando Pimentel, do PT] entende que ele [Paroli] talvez consiga acelerar esse processo”, disse uma segunda fonte.

Procurada, a Cemig disse que “não comenta boatos de mercado”.

Bernardo Salomão Alvarenga foi nomeado presidente executivo da Cemig em 21 de dezembro de 2016, em substituição a Mauro Borges. Em sua gestão, a companhia aprovou um plano de desinvestimentos para reduzir seu enorme endividamento –em setembro de 2017 a dívida líquida somava R$ 12,8 bilhões.

VEJA TAMBÉM: PagSeguro faz maior IPO de uma brasileira nos EUA

Os ativos colocados à venda pela empresa mineira somam cerca de R$ 8 bilhões, mas até o momento houve poucos avanços, com a negociação apenas de uma fatia na controlada Taesa, por R$ 772 milhões, e de participações em pequenas empresas de transmissão.

Ex-diretor de Furnas, da Eletrobras e da própria Cemig, Paroli assumiu o comando da Light em junho de 2017, depois que a então presidente Ana Marta Horta Veloso renunciou ao cargo.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).