Colunas

Última turnê da carreira de Elton John deve arrecadar mais de US$ 400 mi

Getty Images

Atualmente, Elton John arrecada US$ 1,4 milhão por turnê. (Getty Images)

Elton John nunca deixa de caprichar no visual, como provou mais uma vez na última quarta-feira (24), no Gotham Hall, em Nova York. Um espetáculo de realidade virtual de cinco minutos levou os espectadores a uma recriação de seu primeiro grande show no Troubadour, em Los Angeles, no meio do palco do Dodger Stadium, enquanto uma imitação do cantor balançava com um brilhante uniforme de beisebol.

VEJA TAMBÉM: 5 turnês mais lucrativas de todos os tempos

Assim que os fogos de artifício gerados por computador cessaram, o cantor apareceu em um blazer de gola de lantejoulas e apresentou “Tiny Dancer” antes de chamar Anderson Cooper para uma entrevista no palco. “Eu cheguei muito perto de usar exatamente a mesma roupa”, brincou o âncora da TV. Mas foi Elton quem fez a maior revelação da noite.

“As prioridades da minha vida mudaram”, disse ele antes de anunciar o fim das suas turnês para passar mais tempo com o marido e os dois filhos pequenos, depois da excursão “Farewell Yellow Brick Road”, que começará em setembro, em Allentown, na Pensilvânia, e prevê 300 apresentações. A decisão colocará um ponto final em uma das mais brilhantes jornadas de música ao vivo da história, e, com alguma sorte, sua turnê final tem potencial para arrecadar US$ 400 milhões.

A conta é muito simples. Atualmente, Elton John arrecada US$ 1,4 milhão por turnê, segundo a Pollstar. Com 300 shows em arenas, serão embolsados US$ 420 milhões em vendas de ingressos. Esse número pode, claro, ser um pouco maior caso os valores dos tíquetes aumentem na última hora. É possível que o britânico possa fechar em meio bilhão de dólares quando tudo for colocado em prática.

De qualquer forma, a “Farewell Yellow Brick Road” deve ser uma das dez turnês de maior bilheteria de todos os tempos, com chance de, até mesmo, estar no Top 5. Essas posições são, atualmente, ocupadas pela “360 Tour”, do U2 (US$ 736 milhões); “A Bigger Bang”, dos Rolling Stones (US$ 558 milhões); “A Head Full Of Dreams”, do Coldplay (US$ 523 milhões); “Not In This Lifetime”, do Guns N ‘Roses (US$ 475 milhões e contando); e “The Wall Live”, do Roger Waters (US$ 459 milhões).

LEIA: Festa do Oscar de Elton John arrecada US$ 6,2 milhões

Essa seria uma grande última vitória para o artista, que ganhou US$ 60 milhões em 2017. Embora ele provavelmente não economize na “Farewell Yellow Brick Road”, Elton John deve receber os rendimentos típicos dos popstars – aproximadamente um terço do total do ganho bruto depois de contabilizar os custos de US$ 150 milhões e os impostos, o que deve dar ao artista algo como US$ 80 milhões. E, ainda assim, ele não vai se aposentar completamente depois da turnê. “Eu serei criativo até o dia da minha morte. Sempre tem algo para fazer”, explica.

Mais especificamente, Elton John espera ter algum tempo de folga depois do fim da turnê na América do Norte, em 2021, antes de voltar a fazer mais música, trabalhar em musicais e, talvez, até mesmo tocar em shows – desde que não envolvam viagens. “Eu tenho estado no banco de trás de uma van desde os 16 anos”, conta a estrela, que deixou a porta aberta para uma residência no futuro.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).

Comentários
Topo