Colunas

Programa de mentoria da Rolex anuncia seus novos tutores

Divulgação

O escritor Mia Couto foi o tutor do brasileiro Julián Fuks (Divulgação)

Terminou neste final de semana o 8º ciclo, dos anos 2016-2017, do programa Rolex Mentor & Protégé, que permite que jovens talentos do mundo das artes trabalhem durante um ano com mestres como Martin Scorcese e Gilberto Gil. São sete categorias: cinema, arquitetura, literatura, música, artes visuais, teatro e dança.

LEIA MAIS: Rolex atravessa o século pautada pela busca da perfeição e da inovação

Nesta edição, o brasileiro Julián Fuks que foi mentorado pelo escritor Mia Couto. O encerramento aconteceu durante o Rolex Arts Weekend, em Berlim, com diversas exibições e performances.

No evento, também foram anunciados os tutores do próximo ciclo, que se estenderá de 2018 a 2019. Os novos mestres serão o arquiteto britânico David Adjaye, nascido em Gana; o músico indiano Zakir Hussain; a coreógrafa canadense Crystal Pite; e o escritor irlandês Colm Tóibín, radicado em Nova York. Durante esse período, cada dupla de mestre e discípulo será livre para definir as datas e os locais em que se encontrarão, em razão do trabalho que será desenvolvido.

Cada mestre recebe honorários no valor de 100.000 francos suíços. Os discípulos, por sua vez, recebem, cada um, um subsídio de 40 mil francos suíços durante o período de tutoria, além de uma soma para financiar viagens e outras despesas. Ao final do período de tutoria, os alunos se tornam membros da comunidade Rolex de Mestres e Discípulos e podem se candidatar a receber mais 30.000 francos suíços para a criação de um novo trabalho, publicação, espetáculo ou evento público. Os membros da comunidade artística Rolex podem também apresentar um pedido de financiamento para a criação de um trabalho em colaboração com outros participantes do grupo.

 

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br)

Comentários
Topo