“Corrupto” brasileiro seria a oitava pessoa mais rica do mundo

A corrupção no Brasil é bilionária. Apesar de ser impossível quantificar com exatidão o valor desviado dos cofres públicos, dados mencionados por profissionais que trabalham na Operação Lava Jato e publicados na imprensa informam que os recursos perdidos em esquemas de corrupção no país somam em torno de R$ 200 bilhões (US$ 61 bilhões) por ano. Se todo esse dinheiro fosse para as mãos de uma única pessoa, ela seria dona da oitava maior fortuna do mundo, segundo a lista dos Bilionários FORBES de 2018. O personagem criado pela corrupção, portanto, estaria à frente de nomes como Larry Ellison e Michael Bloomberg.

VEJA TAMBÉM: Os maiores bilionários do mundo em 2018

Quem poderia ser então esse “bilionário” brasileiro? Quais suas características físicas? O que ele pensa, quais seus hábitos de consumo? Quais são os segmentos da economia nos quais atua? Qual a sua opinião sobre operações que investigam corruptos no país? Com o objetivo de chamar a atenção de todos os brasileiros para o problema e ajudar a combater a corrupção, FORBES Brasil, a agência Ogilvy e a empresa de tecnologia Nexo criaram, por meio de uma ferramenta de inteligência artificial, o que seria a “cara” da corrupção brasileira. Além do rosto, com todos os traços físicos, o nosso “machine learning” conseguiu ir além e apontar características de personalidade desse homem, que chamamos de Sr. Ric Brasil.

O trabalho da campanha chamada “Ric Brasil” ainda está em andamento, com os últimos ajustes da ferramenta, e a imprensa será capaz de entrevistá-lo até o final deste mês e saber todos os detalhes sobre o homem mais “poderoso” do país. O projeto para se chegar ao Sr. Ric Brasil começou há mais de oito meses com uma ampla pesquisa baseada principalmente em entrevistas e depoimentos de alguns dos principais condenados nas operações Mensalão e Lava Jato. Todo esse material – reportagens da imprensa brasileira, depoimentos, entrevistas, obras literárias – foi colocado no sistema e, com o cruzamento do conteúdo, a ferramenta de inteligência artificial pôde, portanto, apontar o retrato do que considera ser mais próximo do Sr. Ric Brasil. O projeto ainda contou com curadoria de uma jornalista e escritora especializada.

“A FORBES quer se posicionar contra a corrupção, então, além de chamar a atenção dos brasileiros para o tamanho do problema em nosso país, pensamos nessa campanha também como uma forma de valorizar o empresário sério, aquele que cumpre seriamente com os seus deveres, que paga impostos e não precisa usufruir de dinheiro público para construir fortunas. Que não se deixa seduzir pela corrupção”, diz Antonio Camarotti, CEO de FORBES Brasil. Desde 2017, na edição dos Bilionários Brasileiros, os nomes que tiveram suas fortunas listadas e que se encontravam sob algum tipo de investigação de crimes ligados a corrupção, formação de quadrilha, evasão de divisas e outros crimes de lesa-pátria tiveram uma anotação indicando sob qual investigação estavam sujeitos.

A próxima edição da revista FORBES Brasil com a lista dos maiores bilionários do mundo terá uma ação especial, também criada pela Ogilvy, para divulgar a campanha. A publicação chega às bancas a partir de 16 de abril.

E MAIS: UNDER 30 de FORBES Brasil tem indicações online

“A principal ideia da campanha Ric Brasil é destacar o tamanho da corrupção no País. A lista de FORBES é a principal ferramenta para entendermos a riqueza de cada bilionário. Portanto, mostrar que a corrupção no Brasil pode gerar uma fortuna desse tamanho é o melhor jeito de a revista usar informação para combater o problema”, comenta Claudio Lima, VP nacional de criação da Ogilvy Brasil.

Ficha técnica

Agência: Ogilvy Brasil
Título: Ric Brasil
Produto: Institucional
Cliente: Forbes
VP Nacional de Criação: Claudio Lima
Diretor de Criação Executivo: Félix del Valle
Diretor de Criação: Eduardo Doss, Guiga Giacomo
Diretor de Arte: Paulo Engler
Redatora: Mariana Albuquerque
Planejamento: Daniel De Tomazo
Diretor de Operações: Daniel Martins
Diretora de Projetos: Priscilla Saikai
Gerente de Projetos: Beto Campos
UXD: Flávia Goulart, Caroline Salles, Alexander Schevtschenko
RTVC: Patricia Silveira
Mídia: Paulo Ferreira
Montagem: Deydson Rocha
Motion Design: Thiago Bancaro, Marina Carrijo
Atendimento: Juliana Fernandes
Consultoria: Regiane de Oliveira
Aprovação Cliente: Antonio Camarotti

Produtora de imagem: Trator Filmes
Diretor: Vinicius Colé
Diretora Executiva: Gabriela Lemos e Armando Ruivo
Direção de Fotografia: Vinicius Colé
Produtor: Eduardo Saraiva
Produtora de Som: Evil Twin
Atendimento: Juiana Tangary e Carol Couto
Diretor Musical: Andre Faria e Murilo Faria
Produção Trilha: Andre Faria, Murilo Faria e Yuri Chix
Criação Trilha: Yuri Chix

Tecnologia: Nexo
Equipe: Luiz Carvalho, Diego Figueredo, Ariane Camilla, Juliana Marques

Pós Produção: Stratostorm
Produtora Executiva: Helena Hilario
Supervisor de Pós: Mario Pece
Artista 3D: Alan Prado
Motion Designer: Kaio Cruz
Compositor: Igor Sacilotto

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).