Nu de Modigliani é vendido por U$ 157 milhões

Reuters
O “Nu couché (sur le côté gauche)” foi vendido por US$ 157,2 milhões

Um retrato de um nu feito por Amedeo Modigliani foi vendido pela casa de leilões Sotheby’s por US$ 157,2 milhões na noite de ontem (14), o quarto maior valor pago por uma obra de arte em um leilão, mas sem estabelecer um novo recorde para o artista.

LEIA MAIS: Conheça alguns dos itens mais caros já leiloados

A Sotheby’s havia estimado que o preço de venda de “Nu couché (sur le côté gauche)” ultrapassaria os US$ 150 milhões, o que fez da pintura a óleo de 1917 de Modigliani a obra de arte de mais alto valor estimado pré-leilão da história dos leilões.

Mas por somente atender as expectativas e não estabelecer um recorde, nem mesmo para um Modigliani, a tela ficou aquém de uma série de obras cobiçadas leiloadas recentemente, com destaque para “Salvator Mundi”, de Leonardo da Vinci, que chegou a US$ 450,3 milhões na rival Christie’s, em novembro, depois que vários colecionadores de primeiro escalão competiram arduamente. A obra de Da Vinci recebera uma estimativa pré-venda de US$ 100 milhões.

A Sotheby’s logo observou, ainda no decorrer do leilão, que “Nu couché” atingiu o maior preço de qualquer obra nos 274 anos de sua história.

Um sinal da disparada dos preços na alta esfera do mercado de arte foi a mesma pintura ter sido vendida em 2003 por US$ 27 milhões.

VEJA TAMBÉM: Obras-primas de Michelangelo chegam a teatro de Roma

Mas não foi possível negar que poucos colecionadores disputaram a obra, que ficou atrás do recorde de US$ 170,4 milhões pagos por um conjunto de obras de Modigliani em 2015.

Representantes se viram obrigados a caracterizar a venda como “padrão”, uma admissão tácita de que não se testemunhou o esbanjamento visto em leilões recentes tanto na Sotheby’s quanto na Christie’s.

“Não foi um salão exuberante”, disse Simon Shaw, codiretor de arte impressionista e moderna, à Reuters mais tarde, mas acrescentando que “foi uma venda ordenada, eficiente, que atingiu um total dentro de sua faixa estimada”.

De fato o leilão arrecadou US$ 318,3 milhões, superando a estimativa pré-venda mais modesta de US$ 307,4 milhões. Dos 45 lotes em oferta, 71% encontraram compradores.

E TAMBÉM: 10 maiores roubos de obras de arte

Entre os outros destaques estão “Le Repos”, de Pablo Picasso, que atingiu US$ 36,9 milhões e superou a estimativa de US$ 35 milhões, e “Matinée sur la Seine”, de Claude Monet, que rendeu US$ 20,55 milhões, mais perto do valor mais baixo da estimativa de 18 a US$ 25 milhões.

“Lake George with White Birch”, de Georgia O’Keefe, foi vendido por US$ 11,3 milhões, quase o dobro do preço estimado, mas outro Picasso, “Femme au chien”, avaliado entre 12 e US$ 18 milhões, não foi vendido, já que os lances não excederam os US$ 11 milhões.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).