7 problemas das redes sociais na vida dos jovens

Um recente estudo da norte-americana Pew Research aponta que o poder das redes sociais é de tal tamanho que é esperado que o número de usuários ativos nesses ambientes em todo o mundo alcance cerca de 3,02 bilhões por mês até 2021, cerca de um terço da população total da Terra.

VEJA TAMBÉM: 8 redes sociais que mais consomem o tempo dos norte-americanos

Estima-se ainda que 750 milhões desses usuários em 2022 sejam provenientes apenas da China e que aproximadamente 350 milhões venham da Índia. Quanto à taxa de penetração das redes sociais, a região com o maior número é a América do Norte, onde cerca de 70% da população têm pelo menos uma conta em uma plataforma de interação.

No entanto, com consequência dos recentes escândalos do Facebook de venda de dados dos usuários, um número crescente de pessoas passaram a se questionar se as mídias sociais, em sua forma atual, acabam por fazer mais mal do que bem. Os adolescentes não são diferentes e, aparentemente, também possuem sentimentos contraditórios sobre essas plataformas.

Segundo o estudo da Pew Research, 24% dos adolescentes norte-americanos (entre 13 e 17 anos) afirmam achar que as rede sociais têm um efeito majoritariamente negativo em sua geração, enquanto 31% consideram que o efeito é positivo.

Com base nos dados da pesquisa, a Statista levantou razões para o ceticismo crescente dos adolescentes em relação às redes sociais. Apesar de os motivos serem múltiplos, o bullying e os boatos (hoax) que se disseminam rapidamente são os maiores incômodos para os jovens norte-americanos.

E AINDA: Redes sociais aumentam retirada de discurso de ódio online, diz EU

Veja na galeria de fotos abaixo os principais impactos das redes sociais na vida dos jovens dos EUA:

  • 1. Bullying e hoax

    Para 27% dos jovens, bullying e boatos disseminados na internet são o maior problema.

  • 2. Brigas e discussões

    Relacionamentos e contatos pessoais prejudicados são o principal impacto negativo das redes sociais para 17%

  • 3. Distorção da realidade

    Para 15%, a visão alterada sobre a vida “vendida” nas redes sociais é o que mais os prejudica.

  • 4. Distração

    Distração e vício aparece em quarto lugar, para 14% dos entrevistados.

  • 5. Pressão

    Para 12%, a pressão dos colegas é um fator bastante prejudicial.

  • 6. Problemas de saúde

    Para 4%, a maior possibilidade de desenvolver problemas relacionados à saúde mental é o maor impacto das redes sociais.

  • 7. Intensidade

    Para 3%, as redes sociais deixam tudo mais intenso, o que vira um grande problema.

1. Bullying e hoax

Para 27% dos jovens, bullying e boatos disseminados na internet são o maior problema.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).