Fotos

6 pontos para entender o cenário musical de hoje

A indústria musical sempre passa por reformulações por causa das mudanças tecnológicas. “Os fãs de música continuam a consumir conteúdo através de serviços de streaming sob demanda em níveis recordes, ajudando a compensar parte da fraqueza que vemos nas vendas”, afirmou o David Bakula, da Nielsen SoundScan, em um comunicado. “A expansão contínua do consumo de música digital é encorajador.”

Veja  na galeria de fotos algumas informações para entender o cenário musical de hoje:

  • As vendas do álbum estão em baixa na parte digital e ainda mais acentuada quando se trata de CDs. As vendas caíram 14,9%, de 165 milhões para 140, Apesar disso, o vinil ainda está na jogada.
    Essa tendência foi observada em diversos relatórios, e os números deste ano revelam que a tendência continua em um ritmo cada vez maior. Foram 9,2 milhões de LPs vendidos no ano passado, um aumento de 51,8% em relação aos 6,1 milhões em 2013.

  • Parte do sucesso de vinil tem a ver com a popularidade duradoura do rock. O gênero foi responsável por 71% das vendas do LP no ano passado.E não é só rock clássico: Beatles e Lana Del Rey tiveram dois álbuns no top dez. Os dois primeiros eram em geral de Jack White Lazareto (86.700 cópias) e Arctic Monkeys (58.700).
    No streaming, pop-rock é o gênero dominante, ocupando 24% das ondas de rádio digitais de acordo com a Next Big Sound. Isso é mais do que o dobro dos próximos gêneros, rap (11%) e eletrônicos (9%).

  • Há 320 milhões de pessoas nos Estados Unidos, e no final de 2014, 298 milhões delas eram ouvintes ativos de rádio AM/FM, de acordo com relatório do Morgan Stanley. Isso é mais que o dobro do total de usuários do Pandora (79 milhões), SiriusXM (27 milhões) e Spotify (14 milhões) combinados.
    Pode não ser sempre assim. O crescimento da receita vai diminuir em 1,4% ao ano nos próximos cinco anos, mas pode ter certeza, o rádio vai permanecer no cenário.

  • Isso vem por meio de serviços de streaming, e não de vendas de álbuns. De acordo com o relatório recente da Next Big Sound, divulgado ontem, havia um enorme fluxo de música no Spotify, YouTube, Vevo, Soundcloud, Vimeo e Rdio. Isso é um ganho de 95% desde 2013 e um ganho de 363% desde 2012. Streaming não é apenas o futuro do negócio da música, é o presente.

  • Isso está ficando cada vez mais claro a cada ano que passa. Um relatório no final do ano, da Nielsen SoundScan, revela que as vendas de álbuns digitais diminuíram de 117 milhões para 106 milhões, uma queda de 9,4%. Apesar disso, as vendas de faixas digitais caíram de 1,2 bilhão para 1,1 bilhão, uma queda de 12,5%.

  • De acordo com o Next Big Sound, as marcas gastaram aproximadamente US$ 1,3 bilhão em parcerias de música no ano passado. Um relatório da Concave constatou que as marcas mais visíveis em vídeos de música eram Adidas, Beats e Apple. Os dois últimos acordos de US$ 3 bilhões resultou em US$ 620 milhões em apenas um dia para Dr. Dre no ano passado, a soma mais alta de um único ano para qualquer músico na história.

As vendas do álbum estão em baixa na parte digital e ainda mais acentuada quando se trata de CDs. As vendas caíram 14,9%, de 165 milhões para 140, Apesar disso, o vinil ainda está na jogada.
Essa tendência foi observada em diversos relatórios, e os números deste ano revelam que a tendência continua em um ritmo cada vez maior. Foram 9,2 milhões de LPs vendidos no ano passado, um aumento de 51,8% em relação aos 6,1 milhões em 2013.

Topo