Fotos

Como se vestir para fechar bons negócios em 2015

  • Camisa lisa e clara é a melhor opção para visitar o cliente. “O tom claro ilumina o rosto e combina com qualquer blazer”, diz o consultor. A ideia é que nesse tipo de reunião o cliente fique totalmente focado em seu interlocutor e, por essa razão, as peças de roupa não podem ser de tecido xadrez ou listrado. “Pesquisas mostram que acessórios e roupas chamativas desviam a atenção e as pessoas podem perder de 20% a 30% do conteúdo discutido em uma reunião.”

  • Enfrentar um encontro de negócios à noite pode gerar algumas dúvidas entre empresários e executivos. Afinal, você ainda estará a trabalho, mas fora do ambiente formal das empresas. Para Alexandre Taleb, uma combinação difícil de errar neste tipo de evento é calça cinza-chumbo com blazer marrom. A gravata pode ser dispensada.

  • Antigamente, a mulher bem-sucedida precisava usar saia. Hoje em dia essa regra não faz mais sentido. “Uma calça com corte bem feito também produzirá um ótimo resultado”, afirma o consultor. Outra dúvida comum no ambiente corporativo está relacionada ao casual day. As sextas-feiras descontraídas continuam valendo, mas é preciso ter bom senso. “Vestir-se de maneira casual é diferente de usar roupas para ficar em casa”, diz.

  • Para as mulheres, a cor preta também tem suas ressalvas. “Roupa preta apresenta resistência. Vestir-se inteiramente assim pode afastar clientes e funcionários.” Segundo o especialista, executivas da área de recursos humanos ou que lidam diretamente com clientes devem ficar ainda mais atentas ao uso dessa cor.

  • E se você tiver um evento informal logo após o expediente? O que fazer? Nas grandes cidades, por conta do trânsito, muitas vezes não é possível voltar para a casa e mudar de roupa. “O executivo pode ficar com a calça e o par de sapatos usados durante o dia e trocar a camisa por uma polo.” Para quem não gosta desse tipo de camiseta, a sugestão é levar uma camisa mais curta, que possa ser usada para fora da calça”, afirma Taleb.

  • Na sexta-feira, a calça social pode ser substituída pela de sarja. “A sugestão é optar por tons neutros como bege e marrom claro.” A camisa deve ser de manga comprida, como sempre, mas o blazer pode ficar em casa. Nesse dia, o mocassim, com seu solado de borracha e aspecto informal, está liberado. “Só não dá para usar tênis de academia”, alerta Taleb. Bermuda, claro, nem pensar! A regra é: quanto mais pele ficar à mostra, mais informal estará o executivo.

  • A ordem é salto alto. “Ele melhora a postura e transmite altivez.” Mas atenção: quanto mais fino for o salto, mais sensual a mulher ficará. Portanto, os saltos grossos são ideais para o ambiente corporativo, além de ajudarem a manter a estabilidade. “Vale o bom senso. Por exemplo: no caso de uma superintendente de shopping, que precisa andar pelo empreendimento ao longo do dia, a opção terá que ser o sapato baixo.”

  • A bolsa é a protagonista entre os acessórios femininos. Os modelos de tamanho grande são recomendados para o dia e não devem ter detalhes exagerados. Em caso de evento de trabalho à noite, bolsas pequenas são as indicadas. “Está em desuso combinar sapato com bolsa. Eles podem ter a mesma tonalidade, mas jamais devem ser exatamente da mesma cor e material.” A combinação dos dois produtos transmite uma aparência tradicional e, no ambiente corporativo, essa pessoa será considerada desatualizada.

Camisa lisa e clara é a melhor opção para visitar o cliente. “O tom claro ilumina o rosto e combina com qualquer blazer”, diz o consultor. A ideia é que nesse tipo de reunião o cliente fique totalmente focado em seu interlocutor e, por essa razão, as peças de roupa não podem ser de tecido xadrez ou listrado. “Pesquisas mostram que acessórios e roupas chamativas desviam a atenção e as pessoas podem perder de 20% a 30% do conteúdo discutido em uma reunião.”

Topo