Fotos

10 sinais de que você pode estar deprimido e não sabe

Segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA, quase 19 milhões de sua população sofre de depressão. Em algum ponto de suas vidas, 10%-25% das mulheres e 5%-12% dos homens se tornam clinicamente depressivos. Estes são números preocupantes, já que está é uma doença perigosa e debilitadora.

Entretanto, há uma boa parcela destas pessoas que está tão cega para sua própria tristeza que não são capazes nem de admitir que tem um problema. Mas ignorância e negação estão longe de serem as curas e é preciso tomar uma atitude o mais rápido.

Conheça na galeria de fotos 10 sinais que podem indicar depressão:

  • Na psiquiatria, o conceito de “afeto inapropriado” se refere ao comportamento que não combina com o estimulo que o gerou. As pessoas que estão passando por uma depressão, mas não sabem, exibem uma versão muito particular deste problema: elas reagem de forma drástica a tristezas insignificantes e ignoram os problemas realmente grandes.

  • As pessoas tem dificuldade em encontrar novas soluções para seus problemas quando estão depressivas. Em vez disso, continuam fazendo o de sempre. Trabalhar horas extras ou correr mais meia hora na esteira pode fazer bem na hora, mas no final das contas você está apenas se ocupando para não pensar no que te incomoda.

  • Se você ignora gestos amigáveis e simples interações pessoas de carinho, há boas chances de estar depressivo em vez de simplesmente insatisfeito.

  • Todo mundo se distrai durante o dia, principalmente no trabalho. Os depressivos, principalmente o muito controladores para tentar qualquer coisa na vida real, acabam alimentando pensamentos fantasiosos. Como separar a distração natural e saudável de situações potencialmente perigosas? Pensamentos normais envolve mudar sua vida de maneira simples e “prática”, passo a passo; os fantasiosos pensam ser possível sair da classe média para o estrelato em Hollywood de uma noite para a outra.

  • Mergulhar em atividades em grupo parece saudável e realmente dá certo para algumas pessoas. Porem, se o único motivo para sair por aí é para fugir de seus pensamentos e sentimentos, ter uma agenda cheia não é a solução.

  • Melhor do que se sentir triste, as pessoas decidem renunciar completamente de seus sentimentos. Muitas acabam ficando presas em um estado neutro, que as condena a sentir a mesma dor toda vez. Pior do que isso, essa abordagem “de zumbi” afasta quem quer ajudar e gera ansiedade em todos em volta do individuo.

  • Uma maneira comum, mas extremamente imbecil, de lidar com o sentimento de desamparo gerado pela depressão é querer mostrar ao mundo que você não vai ser enganado por ninguém. Alguém te cortou na rodovia? Empurre esse carro para fora da estrada. Sua ideia não foi aceita durante o brainstorming da empresa? Bata no cara que a rejeitou. No máximo, você terá alguns hematomas para lhe distrair de sua dor emocional.

  • Está com a libido em baixa? Imitar o Hugh Hefner e colecionar parceiros não vai te animar. Se você trocou um relacionamento sério para seduzir qualquer um, há uma boa chance de estar tentar esconder uma depressão.

  • O consumo de bebidas alcoólicas é a tática mais comum que as pessoas escolhem para se livrarem da dor emocional. O problema com este método é que quando o individuo finalmente reconhece que é esse desnível de emoções que o leva a beber, são dois problemas para resolver em vez de apenas um só.

  • Muitas pessoas lidam com a depressão agindo de maneira completamente oposto ao que estão sentindo. Jornadas audaciosas e por vezes impossíveis, como uma nova estratégia para acabar com a empresa rival ou largar o emprego para abrir um restaurante, deixam o individuo se sentindo invencível – quando na realidade isto não existe. A lógica do método até faz sentido: a maior causa da depressão, além de desajustes bioquímicos no cérebro, é a sensação de estar sem controle ou desamparado. As pessoas ativam detestam estes sentimentos e usam as atividades como uma maneira de evita-lo. Mas a longo prazo, isso acaba não funcionando.

Na psiquiatria, o conceito de “afeto inapropriado” se refere ao comportamento que não combina com o estimulo que o gerou. As pessoas que estão passando por uma depressão, mas não sabem, exibem uma versão muito particular deste problema: elas reagem de forma drástica a tristezas insignificantes e ignoram os problemas realmente grandes.

Topo