Fotos

6 momentos mais significativos do Oscar 2015

O Oscar é um dos eventos mais assistidos no mundo. O de 2015 vai entrar para a história como um dos mais marcantes por conta das questões sociais. A premiação em si tornou-se um antro surpreendente para o bem social, com alguns vencedores usando a oportunidade para espalhar suas mensagens poderosas sobre temas atuais. Os discursos mostraram-se uma contraposição à homogeneidade dos nomeados à atuação: todos os 20 eram brancos, o que gerou muitas críticas na imprensa e nas redes sociais, como a campanha #WhiteOscars (Oscar de brancos, em tradução livre). Veja na galeria de fotos seis momentos que devem ser lembrados na premiação deste ano:

 

  • “Precisamos falar sobre o suicídio em voz alta”, Dana Perry, vencedora por Melhor Curta Metragem, que dedicou o prêmio ao seu falecido filho que cometeu suicídio.

  • “Gostaria que este momento fosse para aquele garoto ou garota lá fora que se sente estranho ou sente que não se encaixa em lugar nenhum. Não se sinta assim! Eu prometo que você se encaixa. Continue estranho, continue diferente, e então, quando for a sua vez de ficar em pé neste lugar, por favor, passe a mesma mensagem”, Graham Moore, vencedor em Melhor Roteiro Adaptado com “O Jogo da Imitação”.

  • “É nossa hora de ter igualdade salarial uma vez por todas”, Patricia Arquette em seu discurso de aceitação de Melhor Atriz por “Boyhood”.

  • “Uma única pessoa está faltando para você e o mundo fica vazio”, Meryl Streep citando Joan Didion para introduzir o tributo In Memoriam.

  • “Vivemos no país mais encarcerado no mundo. Há mais homens negros sob controle correcional hoje do que na escravidão, em 1850”, o rapper Commom, que junto com Legend, ganhou Melhor Canção Original por “Selma”.

  • “As pessoas com doença de Alzheimer merecem ser vistas para que possamos encontrar uma cura”, Julianne Moore em seu discurso de aceitação de “Melhor Atriz” por interpretar vítima de Alzheimer em Para Sempre Alice.

“Precisamos falar sobre o suicídio em voz alta”, Dana Perry, vencedora por Melhor Curta Metragem, que dedicou o prêmio ao seu falecido filho que cometeu suicídio.

Topo