Fotos

8 carnavais para conhecer ao redor do mundo

O carnaval é parte do DNA do Brasil. A festa, celebrada sempre antes da Quaresma, está interligada à cultura brasileira em varios niveis da sociedade. Desde o dinheiro e o fluxo de turistas que movimenta até os empregos gerados localmente, esse mercado alimentado pela paixão dos brasileiros pela festa e pela alegria só cresce.

E não ha como negar que é essa a combinação que faz com que a festa no Brasil seja diferente. De verdade: o Livro dos Records Guinnes Book reconheceu o carnaval brasileiro como o maior do mundo.

Mas isto não quer dizer que este seja o único lugar que entre em festa no período. Na verdade, em muitos países a tradição do carnaval tem muito mais de 500 anos.

Veja na galeria de fotos 8 carnavais ao redor do mundo que valem a pena conhecer:

  • O Carnaval de Quebec, realizado sob o frio intenso canadense, é conhecido como o maior carnaval de inverno do mundo e dura três semanas. A cerimônia foi implementada pelos colonos europeus católicos para celebrar o período antes da quaresma. Em 2015, as festividades começaram no dia 30 de janeiro e vão até 15 de fevereiro. Para ajudar a esquentar o clima, prove o Caribou: drinque tradicional do evento feito de vodca, conhaque, vinho do Porto e xerez canadense.

  • Também fora de época, o carnaval londrino acontece no bairro de Notting Hill e é a maior festa de rua da Europa. O Notting Hill Carnival, que comemora 50 anos em 2015, foi criado pelos imigrantes afro-caribenhos residentes em Londres como uma resposta para a onda de incidentes racistas da época. A festa combina a música e a culinária do Caribe com mais de 40 trio elétricos e público de quase 1 milhão de pessoas.

  • O Asakusa Samba Carnival acontece sempre no último sábado de agosto no bairro de Asakusa, em Tóquio, e é o maior carnaval fora do Brasil. Mais de 20 escolas de samba e 5000 passistas desfilam para um público de quase 500 mil pessoas. A festa têm carros alegóricos, ala das baianas e até samba cantado em português.

  • O Carnaval de Binche é um evento tradicional da Bélgico, datando desde 1395. A pequena cidade ao sul de Bruxelas é invadida por muita dança, fantasias e desfiles. Na festa, algunss homens fantasiados, que recebem o nome de “gilles”, dançam ao som de tambores, dos sinos que levam à cintura e das batidas no chão dos tamancos de madeira que usam. Já as mulheres se vestem de camponesas. Todos carregam nas mãos um maço de palha que remete à origem rural do povo de Binche. No último dia de comemoração, os gilles distribuem laranjas ao público e as mulheres ganham ramos de mimosa.

  • A capital uruguaia tem um dos carnavais mais longos do mundo. São 40 dias de festa, que começam em meados de janeiro e só terminam em março. Durante o período, os foliões aproveitam as llamadas, as festas de rua, e os desfiles das escolas de samba, tudo regado a muita cerveja.

  • Com duração de 2 semanas e responsável por atrair mais de 1,5 milhão de visitantes a cada ano, o carnaval de Nice é o que mais se aproxima do que acontece no Brasil. Diversos carros alegóricos decorados por bonecos gigantes de papel machê preenchem a avenida montada para as exibições que ocorrem nos finais de semana, de dia e à noite. Um dos desfiles mais esperados durante as festividades é o que dá início à “Batalha das Flores”: 20 carros coberto de flores e buques seguem jogando as pétalas sobre o público.

  • Veneza tem um dos carnavais mais tradicionais do mundo e não é a toa: lá, a festa acontece desde 1162. Sob o domínio do Império Austríaco, a cerimônia foi proibida em 1797, só voltando definitivamente quase 200 anos, em 1979. Ao contrario do que rola no Brasil, em Veneza o carnaval é comemorado com máscaras e fantasias refinadas e elaboradas. A tradição surgiu nos primeiros séculos da festa, quando a nobreza se disfarçava para sair e se misturar com o povo. As festividades duram cerca de 10 dias e são celebradas com grandes bailes de máscaras pelas ruas.

  • Apesar de o Mardi Gras ser celebrado em vários estados, a festa mais tradicional do carnaval norte-americano acontece em Nova Orleans. Milhares de foliões tomam as ruas e avenidas do berço do jazz para festejar com as tradicionais paradas com bandinhas, máscaras de carnaval de gesso e colares de continha, os beads. Este último é um dos responsáveis pela fama internacional do evento: no meio da folia, as mulheres costumam a exibir os seios em troca deles.

O Carnaval de Quebec, realizado sob o frio intenso canadense, é conhecido como o maior carnaval de inverno do mundo e dura três semanas. A cerimônia foi implementada pelos colonos europeus católicos para celebrar o período antes da quaresma. Em 2015, as festividades começaram no dia 30 de janeiro e vão até 15 de fevereiro. Para ajudar a esquentar o clima, prove o Caribou: drinque tradicional do evento feito de vodca, conhaque, vinho do Porto e xerez canadense.

Topo