Fotos

5 dicas para falar sobre dinheiro com crianças

Por que conversas sobre dinheiro, pagamento e orçamento têm de ser conversas tão difíceis? Até mesmo especialistas não sabem ao certo o motivo pelo qual as pessoas tem tanto medo do assunto. Criar um orçamento é um passo importante para organizar a vida. Muitas pessoas não possuem nenhum dinheiro guardado para uma emergência, por exemplo, e isso acontece por falta de planejamento. Criar um orçamento tem de ser um hábito aprendido desde o começo da vida. Está certo que conversar com uma criança sobre isso não é nada fácil, mas é importante. Para obter sucesso, veja cinco dicas de como introduzir o assunto em casa:

 

  • Essa é a maior lição, mas não é lá muito divertida: e é onde as pessoas costumam errar. Como qualquer outra ação, escovar os dentes, fazer exercícios ou a escolha de alimentos saudáveis, o orçamento deve se tornar um hábito. Por isso, é preciso que desde pequena, uma pessoa aprenda a controlar seus gastos ou ao menos entender como funciona. Mais pra frente será mais fácil continuar com a organização.

  • Um orçamento é apenas uma maneira simples de manter o controle de todo o seu dinheiro. Explique para crianças e adolescentes de maneira simples, dizendo que há o dinheiro que entra e o dinheiro que sai. É também um bom momento para construir o conceito de “situações de emergência”. Coloque as situações na realidade das pessoas para quem você está explicando.

  • Os filhos e netos nasceram na era tecnológica, então facilite as coisas. Eles podem encontrar toneladas de ferramentas de orçamento on-line que podem facilitar suas vidas. O ponto é estabelecer um sistema e mantê-lo. Andar com um cartão de débito limitado é uma boa maneira. Depois que o dinheiro acabar, acabou.

  • O ponto de um hábito é torná-lo habitual! Comer comida saudável por uma semana e, em seguida, voltar para doces e fast food não é um hábito. É a mesma coisa com o dinheiro. A melhor maneira de fazer isso acontecer é a criação de um acompanhamento semanal, por exemplo, com seus filhos ou netos para ver como eles estão fazendo.

  • Incentive crianças e adolescentes, de qualquer idade, a definir metas fáceis de gastos. Certifique-se de que, em todas as faixas etárias, as metas não sejam muito ambiciosas. Além disso, não se esqueça que é preciso sempre tornar a conversa a mais agradável possível.

Essa é a maior lição, mas não é lá muito divertida: e é onde as pessoas costumam errar. Como qualquer outra ação, escovar os dentes, fazer exercícios ou a escolha de alimentos saudáveis, o orçamento deve se tornar um hábito. Por isso, é preciso que desde pequena, uma pessoa aprenda a controlar seus gastos ou ao menos entender como funciona. Mais pra frente será mais fácil continuar com a organização.

Topo