Fotos

As mesas do poder em Nova York

Todo grande negócio, em algum momento, passará por Nova York. Afinal, a capital do mundo borbulha ideias, tendências e, claro, dinheiro. Muito dinheiro. Forbes Brasil pediu a empresários e altos executivos que revelassem seus restaurantes prediletos em Manhattan.

Mas esqueça dos estabelecimentos da moda ou de certos clássicos. Mapeamos os lugares onde as conversas decisivas de gente verdadeiramente poderosa acontecem. Veja na galeria de fotos a seguir:

  • Marea
    Luiz Urquiza, CEO da rede de academias Bodytech, vai a Nova York até três vezes por ano e costuma dividir o tempo na cidade entre congressos e almoços de negócios.
    O Marea, pertinho do Columbus Circle, é o endereço preferido do empresário para falar de business graças ao seu ambiente elegante e sem ostentação. Neste duas estrelas Michelin, o chef Michael White faz uma interpretação particular da culinária italiana. “Há boas opções de massas. O serviço e a localização são ótimos, sem contar o preço justo”, diz Urquiza. E como a própria casa define, o menu é “um estudo sobre o mar”, com variedade de peixes frescos e mariscos. Para harmonizar, uma carta de vinhos com 750 rótulos, sendo metade de brancos europeus. O Marea também é o queridinho de Andre Hering, CEO da Guess.
    “Ele consegue ter atmosfera despojada, mesmo se tratando de um restaurante sofisticado. É o ambiente ideal tanto para uma comemoração de negócios ou uma apresentação de oportunidades”, diz.
    Endereço: Central Park South, 240

  • ABC Kitchen
    Um almoço de negócios para Carlos Hussey, country manager da Beam Suntory, fabricante de bebidas como o uísque Teacher’s, precisa ser autêntico e simples. “Em um ambiente mais descontraído, as pessoas conseguem ficar abertas para discutir e trocar ideias”, acredita. Sua parada quando está em Nova York é o ABC Kitchen, no Flatiron District. “O local é cool, possui cardápio baseado em ingredientes orgânicos e com pratos back to the basics”, afirma.
    A empresária Cristiana Arcangeli, que lançará em breve sua linha de alimentos Beauty’in no mercado americano, concorda com o executivo. É para o ABC Kitchen que ela costuma levar clientes e parceiros. “Trata-se de um fantástico restaurante de comida saudável”, afirma.
    Os ingredientes sazonais e livres de pesticidas usados nos pratos do chef Jean-Georges Vongerichten são fabricados por agricultores locais. Sempre há lugares disponíveis para o almoço, mas se a ideia for jantar, prepare-se: é necessário fazer reserva com cerca de três semanas de antecedência.
    Endereço: 18th street, 35

  • Grill Room
    O Grill Room, no hotel Four Seasons, é conhecido há décadas por receber a poderosa elite de negócios de Nova York. O local é o preferido do advogado Peter Yanowitch, dono da Elements, empresa de concierge de luxo.
    “Trata-se de um elegante restaurante atemporal que serve cozinha americana e é conhecido pelo seu linguado”, diz. Atualmente, Yanowitch vive em Coral Gables, na Flórida, mas viaja até quatro vezes por ano a Nova York para visitar os clientes que possuem casas lá. Inaugurado em 1959, o restaurante foi projetado pelos famosos arquitetos modernistas Mies van der Rohe e Philip Johnson.
    A decoração é marcada por paredes com painéis de nogueira e janelas de pé-direito duplo, as quais deixam a luminosidade invadir o ambiente. Uma joia da arquitetura e também do mundo dos negócios.
    Endereço: 99 East 52 Street

  • Café Boulud
    Os dias de Elias Silva, vice-presidente para o Caribe e a América Latina da NCR Corporation, em Nova York, costumam ser cheios. Em suas viagens à cidade, ele precisa se dividir entre visitas a clientes e entidades do setor, além de reuniões com executivos da própria NCR, líder mundial em tecnologia de transações de consumo.
    Para dar conta de tantos compromissos, ele costuma escolher o Café Boulud como ponto de encontro. “Uma excelente atmosfera, com cardápio impecável e carta de vinhos bastante atraente”, diz.
    No coração do Upper East Side, este restaurante com uma estrela Michelin do aclamado chef Daniel Boulud busca inspiração em quatro pilares: la tradition (com a cozinha clássica francesa); la saison (iguarias sazonais); le potager (produtos da horta) e le voyage (sabores de cozinhas do mundo). Sua carta de vinho vai de um Vin de Savoie, por
    US$ 39, a um Romanée-Conti 2009, por US$ 12.000.
    Endereço: 76th Street, 20

  • Carbone
    Para Joseph Tutundjian, sócio da Bentley no Brasil, a verdadeira Manhattan está em bairros como o Soho, com suas galerias, e o Chelsea, endereço da deliciosa High Line. O empresário viaja a Nova York de cinco a seis vezes por ano a negócios e também para visitar os dois filhos que moram lá. Em Greenwich Village está o Carbone, seu local predileto para importantes reuniões.
    Este italiano com uma estrela Michelin consegue imprimir criatividade a pratos tradicionais como o linguine ao vôngole e frango a scarpariello graças ao jovem chef e restaurateur Mario Carbone. “Como não sou de modismos, vou naqueles restaurantes que têm boa comida e atmosfera agradável.”
    O Carbone foi aberto em março de 2013 no mesmo prédio do Rocco, um restaurante de comida italiana que fez fama em Manhattan. Muito da antiga casa foi preservado, inclusive o nome na fachada: a marca do letreiro do Rocco continua visível por baixo do luminoso de néon do Carbone.
    Endereço: Thompson Street, 181

  • Estiatorio Milos
    O Estiatorio Milos, de culinária grega, é a escolha de Marco Stefanini, CEO global da Stefanini, especializada em serviços de TI. A companhia tem escritório na Park Avenue e por essa razão os encontros do empresário com clientes, tanto de Manhattan como de Neva Jersey, são frequentes. “A comida do Milos é boa e leve. Além disso, o restaurante é bem localizado e possui um bom custo-benefício”, afirma Stefanini.
    O grego Costas Spiliadis abriu a primeira unidade do Milos em 1979, na cidade de Montreal. Desde aquela época, ele segue à risca os ensinamentos de sua mãe, que lhe falava sobre a importância da utilização de ingredientes frescos, colhidos no auge do sabor.
    Naquela época, o chef costumava dirigir quase 500 quilômetros, duas vezes por semana, até o Fulton Fish Market de Nova York (sim: ele cruzava a fronteira do Canadá com os Estados Unidos!) atrás dos melhores peixes e frutos do mar.
    Além das unidades em Midtown e Montreal, o Milos está presente em Las Vegas, Miami, Londres e Atenas.
    Endereço: West 55th Street, 125

Marea
Luiz Urquiza, CEO da rede de academias Bodytech, vai a Nova York até três vezes por ano e costuma dividir o tempo na cidade entre congressos e almoços de negócios.
O Marea, pertinho do Columbus Circle, é o endereço preferido do empresário para falar de business graças ao seu ambiente elegante e sem ostentação. Neste duas estrelas Michelin, o chef Michael White faz uma interpretação particular da culinária italiana. “Há boas opções de massas. O serviço e a localização são ótimos, sem contar o preço justo”, diz Urquiza. E como a própria casa define, o menu é “um estudo sobre o mar”, com variedade de peixes frescos e mariscos. Para harmonizar, uma carta de vinhos com 750 rótulos, sendo metade de brancos europeus. O Marea também é o queridinho de Andre Hering, CEO da Guess.
“Ele consegue ter atmosfera despojada, mesmo se tratando de um restaurante sofisticado. É o ambiente ideal tanto para uma comemoração de negócios ou uma apresentação de oportunidades”, diz.
Endereço: Central Park South, 240

Comentários
Topo